11 setembro 2011



Mãos de Cetim


queria ter minhas mãos
como um cetim
tocar sua pele máscula
e fazer-me sentir
pela suavidade
pela ternura
e no gesto apenas
a simplicidade do toque
mãos transparentes
ligeiramente suadas
mornas e apaixonadas
derretendo em seus poros
minhas digitais
queria ter minhas mãos
movendo-se em caricias suaves
arrepiando seus pelos
entendendo a linguagem
de seu corpo
passeando pelos seus sentidos
direcionando-as obedecendo
seus sussurros roucos
em meus ouvidos

Mary Fioratti

2 comentários:

Alexandre Fernandes disse...

Mary, que saudade de ti.

Como você está? Quero saber de ti. O que anda a fazer, o que tens passado?

Me diz, diz. Saudades imensas.

Apesar de ausente saiba que nunca saíste do meu coração. Prova que estou aqui. Tenho um carinho imenso, imenso mesmo por ti. Não esqueço de ti.

Me encanta o laço que criou entre nós. Uma amizade bonita. Mesmo que por essa distância, as palavras sempre foram nossas cúmplices não é?

Obrigado sempre pelo teu carinho. É edificante o teu afeto. Tuas palavras sempre vão de encontro à minha alma, levando compreensão e um conforto espantoso.

É por isso que não poderia deixar de vir aqui num momento tão feliz da minha vida.

É, estou feliz.

E você sabe muito bem entender isso não é? *risos

Eu precisava te contar. Você é uma amiga que sempre torceu por mim. Confio demais em ti viu. Obrigado sempre!

E não suma.

Estarei sempre por aqui.

Beijos!

Poemas e Cotidiano disse...

Alf, meu querido!
Tao feliz de receber esse recadinho seu... tambem vou no seu blog muitas vezes... adoro sua transparencia, sua simplicidade... amo voce muito!
Que bom que esta feliz... vou la ver sua felicidade (rs)... Saudades de voce, viu? E veja: tambem penso muito em voce, assim como voce (eu sei!) pensa e mim.

Um beijo carinhoso
Mary