08 fevereiro 2008



CAMINHANDO COM MEUS VELHINHOS




Um dia chegaremos lá. E eu espero estar com uma cabeça boa, sorrindo para a vida, e para todos em minha volta.
Não quero tristezas, nem recordaçoes que nao valham a pena. Quero olhar para trás sem arrependimentos, e olhar tudo de bom que eu fiz.
Trabalhar com esses velhinhos tem me feito tão bem! Quando entro naquele lugar, me sinto movida pelo meu coração. Algo aqui dentro de mim se move. Muda. Recicla.
Meus olhos se deitam em tudo de uma forma completamente diferente. Nao sei explicar. Mas um grande sentimento se apossa de meu coração. Passo a sentir mais, de uma forma absoluta.

Ontem foi a festinha de aniversario do mes. Gosto tanto desse dia, porque a maioria dos velhinhos que nao saem do quarto, vao para o restaurante. Vem um pianista tocar musicas, e de repente todos viram um pouco crianças... a gente nota o pé batendo no chão, e o olhar sonhador, com alguma lembrança do passado.
Comem bolo como crianças, seguram o copo de suco como minha filha segurava quando era pequena. Como se o mundo inteiro se resumisse naquele pedaço de bolo, e aquele suco. Alguns dormem na mesa, pelos remédios, ou mesmo pelo cansaço. Mas querem participar.
Nessa foto, voces podem ver mais ou menos o ambiente.



Este homem de camisa branca e bonézinho, é aquele cego que falei dele no meu post há tempos atrás. Impressionante como este homem dá uma injeção de otimismo. Sempre sorrindo, de bom humor, de bem com a vida, como se enxergasse tudo colorido. Nas festas ele canta, ri, bate palmas. Ao lado dele, de camisa xadrez, o companheiro dele, Mike, jantam sempre juntos, fumam juntos lá fora depois do jantar.
Adoro servir a mesa dele! Tenho sempre que dizer a ele o que tem no prato, e independente do que seja, ele sempre acha bom, e agradece. Mesmo sem enxergar o mundo, este homem consegue ser grato.

Mas uma velhinha que tenho verdadeira paixão é a Laura. Tem algo naquela velhinha que nao sei explicar, mas me puxa para ela. Sempre arrumadinha, com o chapéu combinando com a roupa. E tem uma voz muito dela. Um jeito de se expressar muito especial.
Eu chego e ela diz: "Hi!!!!! What do you know?" Uma expressao que os americanos usam para dizer: "Ola! conte as novidades!".
Sento com ela em sua cama, e ela conversa. Ela escuta pouquissimo, levo meu caderno, escrevo, e ela responde. E assim fico conversando em seu quarto. Dessa ultima vez ela contou suas viagens com seu marido, e falou das borboletas. A Laura adora borboletas. Tem um quadro com uma borboleta colorida, em cima de sua cama. Perguntei porque. Ela disse que gostava do colorido delas, e do modo que elas voavam livres. Falou-me das borboletas no campo. E eu parecia enxergar a beleza da descrição.

Quando sirvo o jantar no restaurante, ela me pede café a toda hora. Ela adora! Entao dessa ultima vez, tirei sua foto tomando café usando o chapéuzinho novo que ela colocou. Vejam que gracinha:



Essa e a foto anterior dela:




Ela sempre me conta as coisas de um modo detalhado, muito proprio dela. Tenho um carinho imenso por essa velhinha.

Em cada lugar que vou ali, tem uma historia.

Comove-me sobremaneira um homem que vem todas as tardes sentar com sua mulher para jantar. Ela teve derrame. Ele senta pacienciosamente com ela, e dá a comida na boca. Quando coloco a comida na mesa, ele diz para ela: "Hummm que delicia, veja!". Ela olha como se seu olhar nao estivesse ali.... e ele sempre com aquela paciencia. Mostrando-se alegre. Mas muitas vezes eu capto seu olhar distante na mesa, olhando por um momento para o vazio.
Um dia desses eu vi a fotografia deles quando jovens. Está pendurada no corredor onde tem os quartos. Um casal bonito, alegre, sorrindo abraçados.
Então por um instante a gente tem um rapido sentido da vida. Das mudanças.

Continuo visitando tambem o Norman, lembram dele?



Ele sempre me conta historias interessantes de vida. Outro dia estava contando o quanto gostava de cozinhar para os filhos. E queria muito que eles comessem espinafre. Entao inventava receitas diferentes. Fala de receitas, de guerra, da familia, dos netos, dos filhos. Tem uma memoria invejavel! Muito lucido, nao se esquece de pequenos detalhes. Gosta de falar da Guerra em que esteve. Dos amigos que perdeu. Das medalhas que ganhou. Quando saio de seu quarto, levo sempre comigo papeis que ele me da.
Esta e a sua foto quando lutou na 2a. Guerra Mundial.




Visito tambem aquela mulher que perdeu o marido com derrame cerebral. A semana passada eu havia ido visitá-la e encontrei sua cama arrumadinha, e ninguem no quarto. Levei um susto, achando que havia acontecido algo com ela. Mas ela havia ido ao funeral de sua irma que havia morrido. Nessa semana entao fui visitá-la e me preparei interiormente para ouvi-la, e dizer umas palavras consoladoras. No entanto ela estava bem. Vejo que Deus nos dá uma compreensao acima dos limites nessa idade. Tudo parece uma decorrencia normal da vida (e é !) mas que é aceita de um modo mais facil e simples do que quando somos jovens.

Essa é a foto dela, que coloquei no meu post anterior, no dia do seu casamento:



Eu me emociono com a ingenuidade dela, quando me conta que ela o conheceu com 16 anos, foi seu primeiro e unico namorado. E ela descreve quando o viu pela primeira vez, ela estava numa estação de trem, e que ele veio falar com ela. Seus olhos sempre brilham com essa lembrança, e ela sempre repete essa historia como se fosse a primeira vez que estivesse me contando. E o engraçado é que toda vez que eu a escuto, parece mesmo a primeira vez, pelo brilho de seus olhos, pela empolgação meiga de suas palavras.

Sinto-me util. Sinto-me necessaria naquele mundo onde muitos estacionaram. E eu me sinto me movendo, e de uma certa forma, trazendo alegria a eles. Brinco muito. Sorrio muito. Exercito minha paciencia. E sempre agradeço por Deus ter me colocado naquele lugar e me fazer enxergar coisas que nunca enxerguei.


Mary Fioratti

24 comentários:

Menina do Rio disse...

Eu fico tão feliz ao vir aqui e te ler. Quanto amor tem nesse teu coração! E ver as imagens dessa geração bonita! Diga a Laura que também eu adoro café.

beijinhos

Anônimo disse...

Mary querida....

Esta tua experiência com teus velhinhos, tem enriquecido tbém a minha vida...
Leio ávida os teus relatos, reflito tanto, me emociono tanto...
Sinto como se um pouco, eles tbém fossem meus conhecidos.
Como a vida é breve não minha amiga? Num momentos somos crianças sonhadoras, crentes que o futuro será luminoso e feliz, no outro, e de repente, o tempo passou....e isso me assusta sabe querida...
temo profundamente este fim de jornada. Não pelo que materialmente representa, mas muito mais pelos sonhos talvez não conquistados, pela felicidade talvez não alcançada, pelo amor talvez não vivido....
Há tanto o que se refletir, há tanto o que valorizar....
Olha minha amiga....fico numa emoção só quando estou aqui.
Obrigada por estes momentos únicos!
Te amo
Bea

Amaral disse...

O teu tempo agora escasseia!
E ainda bem que o empregas por uma causa tão nobre e numa relação que te faz tão feliz!
Esse "grande sentimento" que o coração te mostra é a essência que está a fazer de ti a versão mais grandiosa que vais criando...
Estás a viver as emoções mais belas e fascinantes que jamais havias imaginado serem possíveis.
Continua a sorrir e a brincar! A Vida está mesmo contigo!!!

Zé Carlos disse...

Uai Marinês, eu achei que vc nem estava postando mais, pois desapareceu da Net.....
Verdade, eu estava preocupado com vc. Não desapareça....
Ficou linda esta história sua com os seus Idosos... eles são lindos.
beijão do Zé

Zé Carlos disse...

Uai Marinês, eu achei que vc nem estava postando mais, pois desapareceu da Net.....
Verdade, eu estava preocupado com vc. Não desapareça....
Ficou linda esta história sua com os seus Idosos... eles são lindos.
beijão do Zé

Sergio disse...

Olá, Mary!

É muito bom aprender mais alguma coisa. Nunca é demais saber, e pessoas idosas possuem experiencias. O que passamos para alguem com nossa vivencia, eles nos passam em dobro.

Um beijo e parabens

Liz / Falando de tudo! disse...

Eu simplesmente adoro visitar seu blog, sempre cheio de carisma, tranquilidade, fazendo posts lindos como este; sempre nos deixando conscientes de que a vida é agora, mas num futuro so teremos o passado para reviver nas lembranças...
Muito belo o post, mas belo ainda é sua ação com os velhinhos.
Parabéns

BANDEIRAS disse...

Boa tarde Mary,

Queiramos ou não, chegaremos todos um dia lá.
Maravilhoso sua maneira de nos mostrar isto.
Obrigado.
bjs.

Kalinka disse...

Olá Mary

Também eu faço homenagem aos «velhinhos»...mas hoje é o dia mundial do doente e há tantos doentes graves ainda bebés...

No Dia Mundial do Doente, a minha mensagem é:
Neste dia de afectos, não esquecer que a nossa saúde mental e física beneficia também da atenção e carinho que dedicarmos aos nossos mais próximos e semelhantes.

Um abraço.

Anônimo disse...

Bom diaaaaaaaaa alma iluminada.
É isso que vc é! Mary sua história com eles é muito show! Continue maravilhosa e atenciosa como vc é.
Um doce beijo no coração da amiga Beta!

Anônimo disse...

Olá cunhadinha,
Colocando em dia a leitura..
Belo trabalho ,dando um pouco da sua jovialidade a essas pessoas tão carentes de atenção.
Tenho certeza que será de grande experência,esta sua passagem por este lar de idosos.Continue firme e persevere.
Muita luz e paz!
Beijos
TE
Li ainda agora esta frase,achei tão verdadeira que resolvi postar,
"Mantenha sua fé em coisas belas,no sol qdo ele estiver oculto,na primavera qdo ela estiver ido"R.R.Gibson

Saramar disse...

Querida, ler suas histórias com os idosos é reavivar a esperança no ser humano.
Por onde anda? Até hoje no carnaval???

beijos

amigona avó e a neta princesa disse...

Passei por aqui e gostei muito de te conhecer...sabes,também trabalho com idosos (sou presidentede uma instituição que tem centro de dia, apoio e um lar) e gostei muito de te ler...beijos...

Rosa Maria disse...

Mary

Sempre que visito o teu blog fico com mais admiração por ti pelo trabalho que desenvolves e que é tão meritório.

Passa pelo meu blog, tenho lá um desfio para ti.

Beijinhos

Anônimo disse...

Emocionante! E não poderia jamais sair daqui sem deixar um oi. Mantenho com os velhos uma relação de imensa ternura, quiçá em razão da fragilidade e da finitude que os envolvem.
Ah, tão depressa fluem os tempos e logo chegaremos lá. Tenho 24 anos, como sempre vivi com meus avós, aprendi a ouvir suas longas histórias de amor, de coragem, de ganhos e perdas. Gosto de sentar e ouvir e aqui ouvi e senti todo este encanto. Bjus e felicidades
Anne
http://www.anne_voce.blogger.com.br

Belinha disse...

Olá!
estava a visitar blogs e passei pelo seu.
Gostei muito, porque nós aprendemos muito com essas pessoa,todos os dias tem para nos dar muitas lições,,são professores da vida,ternurentos, amorozos espero um dia vir a fazer parte de um grupo assim.
Jokas

mixtu disse...

todos muito bonitos e cheios de estórias para contar e depois para contares por aqui...

abrazo serrano

BANDEIRAS disse...

Oi Mary,

Enquanto não sai post novo, sempre leio este com o mesmo interesse, e sinto desejo de comentar.
É a lei da vida irmão, "Decifra-me ou te devoro"
abs

Essência Brasileira disse...

Olá minha querida Mary
Menina!! Mil perdões pelo meu sumiço. Estou tão relapsa e ausente. Mas prometo estar mais freqüente em seu cantinho.

Quero também agradecer de coração sua presença em meu novo espaço. Espero que volte sempre. As portas estarão sempre abertas.

Tenha uma semana maravilhosa
Beijos... Sil

pimentinhabm disse...

e tem genti q maltrata , eu fiko idignada!!!

=*

Mário disse...

Mary, espero que esteja tudo bem contigo. Fica aqui o meu abraço.

Kafé Roceiro disse...

Lindona,

Que bacana esse post. Essas pessoas parecem realmente muito especiais. Sumi de novo, né? Estou muito atarefado. Mas a gente dá um jeitinho de aparecer pra rever pessoas também muito especiais como você.

Beijão,

Kafé.

identidade disse...

Oi Tia.
Obrigado pelos votos de feliz aniversário. Ando tão ocupado que demorei todo esse tempo para responder.
Parabéns pelo blog.
Beijos

Paulinho

Musician disse...

Querida, é tão bom entrar nesse teu mundo tão teu e o que é tão especial é que me sinto a fazer parte dele...como se convivesse contigo e sentisse tudo o que sentes! :)
Lindo esse teu coração!
TE ADORO MUITO MARY
Um grande beijinho no teu coração*