23 setembro 2008



PALAVRAS AO VENTO



Retiras tudo que me destes
mas retiras com maldade
com crueldade
como se eu tivesse feito algo
que o tivesse ferido muito
no entanto
meu coração semeou
nos cantos da tua existência
somente ternuras e sonhos
esperando pela colheita do amor



Pisas nos meus sentimentos
como se os teus
nunca tivessem existido,
retiras tudo que me deste
esmigalhas meus sonhos
pisas em minhas ilusões
queres apagar com uma borracha
o que foi gravado com sangue
dentro do coração



És tão frio e tão distante
e deixas no ar uma estranha sensação
de eu nunca ter realmente te conhecido
Jogaste tuas palavras ao vento
sementes inúteis
que germinam hoje a flor do silêncio...



retiras tudo que me deste
desnudas meu coração, deixa-o frio
sem nenhuma piedade...
penso agora... se és o mesmo
que um dia conheci
e de quem hoje sinto...tanta saudade

Mary Fioratti

7 comentários:

O Profeta disse...

Uma tela de palavras de belas cores retiradas ao fundo da alma...


Doce beijo

BANDEIRAS disse...

Querida amiga,

Um belo dia, a lua mostrá-se que
não é de prata, ou o sol tão pouco de ouro,
todo aquele brilho que nos seduz...
Mas a vida continua a ser cantada
em versos, e finalmente aprendemos
apenas só um pouc mais.
Tudo aqui continua lindo e com o
encanto de sua magia,
bjs

Delfim peixoto disse...

Gostei de te revisitar...
abraço português

ALF disse...

Palavras que sublimam o coração em alegria...

Muito bom ler isso.
MAry tu é um doce de pessoa e és muito especial pra mim.

ultimamente não passo dias emocionalmente estáveis. Uma profunda tristeza anda me abatendo, e sabe, são coisas do coração, tão impaciente e teimoso, que me pôe em ilusões...

aiai

enfim, te gosto muito viu, e é sempre um conforto saber que existes.

Beijos

Nilson Barcelli disse...

Belíssimo poema cara amiga.
Pode ser que a saudade se apague num instante...
Beijinhos.

Nike disse...

Adorei seu blog...
Cada palavra que vc escreve mexe bem no fundo do meu coração... Com certeza voltarei sempre aqui...
Parabéns Mary
Um beijo

Deusa Odoyá disse...

Olá querida amiga.
mesmo com nossos corações sangrando, sentimos a dor por uma grande paixão.
muito belo seu poema.
Inspirado em tempos vividos de muita desilusão.
Acorde, sorria para a vida e deixe a luz de um novo amanhecer despertar em sua alma, uma nova esperança de vida.
beijos amiga.

Uma semana repleta de muita paz e fé.

Regina Coeli.