25 setembro 2008



O MARKETING DA ALMA É FEITO COM NOSSO CORAÇÃO




Vou comecar aqui colocando um texto que circula pelo internet e voces ja devem ter lido. Esse texto me fez pensar muito. Nao achei o autor. Se alguem souber, por favor, me diga, e eu faco questao de colocar aqui.




*GESTÃO DO FÓSFORO*

'Um fósforo, uma bala de menta, uma xícara de café e um jornal: Estes quatro elementos fazem parte de uma das melhores histórias sobre atendimento que conhecemos.
Um homem estava dirigindo há horas e, cansado da estrada, resolveu procurar um hotel ou uma pousada para descansar. Em poucos minutos, avistou um letreiro luminoso com o nome: Hotel Venetia.

Quando chegou à recepção, o hall do hotel estava iluminado com luz suave.
Atrás do balcão, uma moça de rosto alegre o saudou amavelmente:
'-Bem-vindo ao Venetia!'
Três minutos após essa saudação, o hóspede já se encontrava confortavelmente instalado no seu quarto e impressionado com os procedimentos: tudo muito rápido e prático.
No quarto, uma discreta opulência: uma cama, impecavelmente limpa, uma lareira, um fósforo apropriado em posição perfeitamente alinhada sobre a lareira, para ser riscado. Era demais! Aquele homem que queria um quarto apenas para passar a noite começou a pensar que estava com sorte.
Mudou de roupa para o jantar (a moça da recepção fizera o pedido no momento do registro). A refeição foi tão deliciosa, como tudo o que tinha experimentado, naquele local, até então. Assinou a conta e retornou para quarto.
Fazia frio e ele estava ansioso pelo fogo da lareira. Qual não foi a sua surpresa! Alguém havia se antecipado a ele, pois havia um lindo fogo crepitante na lareira. A cama estava preparada, os travesseiros arrumados e uma bala de menta sobre cada um... Que noite agradável aquela!
Na manhã seguinte, o hóspede acordou com um estranho borbulhar, vindo do banheiro. Saiu da cama para investigar. Simplesmente uma cafeteira ligada por um timer automático, estava preparando o seu café e, junto um cartão que dizia: 'Sua marca predileta de café. Bom apetite!'
Era mesmo! Como eles podiam saber desse detalhe?
De repente, lembrou-se: no jantar perguntaram qual a sua marca preferida de café.
Em seguida, ele ouve um leve toque na porta. Ao abrir, havia um jornal.
'Mas, como pode?! É o meu jornal! Como eles adivinharam?'
Mais uma vez lembrou-se de quando se registrou: a recepcionista havia perguntado qual jornal ele preferia.
O cliente deixou o hotel encantando. Feliz pela sorte de ter ficado num lugar tão acolhedor.

Mas, o que esse hotel fizera mesmo de especial? **Apenas ofereceram um fósforo, uma bala de menta, uma xícara de café e um jornal. **
Nunca se falou tanto na relação empresa-cliente como nos dias de hoje. Milhões são gastos em planos mirabolantes de marketing e, no entanto, o cliente está cada vez mais insatisfeito mais desconfiado. Mudamos o layout das lojas, pintamos as prateleiras, trocamos as embalagens, mas esquecemo-nos das pessoas. O valor das pequenas coisas conta, e muito. A valorização do relacionamento com o cliente. Fazer com que ele perceba que é um parceiro importante!!!

Lembrando que:
**Esta mensagem vale também para nossas relações pessoais (namoro, amizade, família, casamento) enfim pensar no outro como ser humano é sempre uma satisfação para quem doa e para quem recebe.
**Seremos muito mais felizes, pois a verdadeira felicidade está nos gestos mais simples de nosso dia-a-dia que na maioria das vezes passam despercebidos. ' **



É interessante ver como esses pequenos detalhes cativaram a pessoa que foi nesse Hotel. Assim como nós, quando vamos em lugares que existem essas pequenas atenções, sentimos que estamos sendo valorizados como “pessoa”.
Ai esta a estratégia: a valorização do ser humano.

Passamos por tantas experiencias todos os dias, e muitas vezes não as percebemos. Elas são muitas vezes tão automáticas que passam por nos sem ativar nosso pensamento. E sem provocar aquele desejo de um gesto que pode realmente “fazer a diferenca”.

Existem algumas coisas que eu inseri no meu dia a dia, e faço isso como um “trabalho de casa”, “um homework” vamos por assim dizer.
Eu me proponho a todos os dias, agradar uma pessoa. Ou prestar atençãoem qualquer outra pessoa. Ou ouvi-la. Ou aborda-la com uma pergunta.
E é tão interessante notar quanta coisa aprendemos com essa abordagem. Não somente fazemos algo por alguém, mas recebemos de volta com uma intensidade muito grande. Quantas pessoas estao a espera de um contato, de uma pergunta, de algo inesperado?
Como uma sementinha que plantassemos...


Trabalhei em uma Cia aqui em Cincinnati durante 10 anos. Toda as sextas-feiras eu fazia um pão de queijo recheado com presunto. Começou assim inocentemente, e depois se tornou uma coisa que me agradava muito. Eu chegava de manhã com dois Pães, enormes,
(e custava tão pouco tempo em faze-los...), e via o olhar de alegria e satisfação dos eletricistas quando vinham na cozinha para comer um pedaço. Ou quando eu separava um pedaço para quem ainda não tinha chegado. E levava um para o Gerente do Almoxarifado, o Tom.

Aquilo para mim se tornou uma coisa que eu fazia com enorme prazer. E eu recebia tanto das pessoas em troca, conversas, troca de receitas, risos, piadas, era uma coisa que se tornou um habito que segui até o momento em que a empresa acabou. Como aqueles momentos de sexta-feira me enriqueceram!

Um costume que eu sempre tive: quando uma pessoa gostava de um colarzinho que eu estava usando, ou um anel, ou algo meu, eu sempre presenteava aquela pessoa em seu aniversario com aquilo. Era algo meu, mas que me dava imenso prazer em saber que eu estava presenteando alguém com algo que ela gostou, e que chegaria a ela com minhas vibrações. A vibração de amizade, de querer bem, que esteve comigo e tem um pouco de mim.

Então eu faço assim: olho para uma pessoa que esta carregando algo pesado, e pergunto se quer ajuda (principalmente velhos). Compro limonada das crianças que fazem banquinha na esquina. Fiz um acordo comigo mesma de ouvir pelo menos DUAS vezes por semana (o que realmente eh um sacrifício) as ligações que as pessoas fazem na casa da gente para vender. Sabem por que? Minha filha esta agora fazendo algo assim, e eu resolvi pensar nela... e pelo menos escutar, sem bater o telefone, e agradecer. Na verdade, eu penso que é o trabalho deles. Eu sei, isso é dificil mesmo!

Tudo isso, se pensarmos bem, é um “marketing de pessoas”.

Nesse artigo eu achei interessante uma coisa: fala-se tanto em marketing de produto...e no entanto, esquecemos que o mais importante é agradar as pessoas, para que elas cheguem no produto. Não eh assim? Não foi assim no caso desse Hotel? Pequenas coisas, muitas vezes quase inperceptiveis.

Não deveríamos agir assim com as pessoas? Fazer um marketing de sentimento? Especialmente para aquelas que não conhecemos. Com os amigos é tão fácil fazer marketing, não é mesmo? Amigos, a gente já gosta de graça! O difícil é fazer com aquelas pessoas que não conhecemos. Que não sabemos de onde vêem. Que não temos amizade. Que de uma forma ou outra, temos um preconceito interior. Sim, porque todos nos temos preconceitos e precisamos trabalhar neles. Nao concordam?

Quando cativamos pessoas, sempre recebemos algo em troca. Mesmo que a reação seja negativa, estamos aprendendo com essa reação.
Por exemplo: quando uma pessoa o trata mal, ou grita, ou se altera, se você tenta se manter na “realidade” daquele acontecimento, se separando daquele momento, e se colocando como um observador, (nao é facil!) você consegue não gritar, não se alterar, não agredir, e o que você percebe eh a pessoa desconcertada pelas suas próprias reações.
Gente, nao estou fazendo “vestibular para Santa”. Isso tudo e um treinamento diario! Um crescimento.

Um dia eu vinha de carro (já contei isso aqui, mas lembrei-me agora) e vi um velho descendo de um ônibus na esquina. Aqui, a coisa mais “rara” é ter ônibus... onde moro tem UM que faz o roteiro “cidade – e alguns bairros”, mas não eh como no Brasil, essa facilidade de um ônibus para cada lugar.
Vi que ele desceu e foi andando curvadinho, estava assim bem mal vestido, uma roupa batidinha. Vamos dizer assim: um mendigo brasileiro mais “tratado”... Eu passei por ele, e lá na frente virei o carro e pensei: “Vou perguntar se ele quer uma carona para algum lugar”. Dei a volta, parei o carro e perguntei onde ele ia. Ele disse que ia ao médico, que ficava a uns quarteirões dali. E eu abri a porta e disse: “Entra que eu levo o sr.”.. O homem entrou e fechou a porta, e de repente me deu um medo, mas fui em frente. A gente ouve tanta coisa... Bom, nem o cheiro do homem era agradável, e ele foi conversando dizendo que uma vez por mês ele ia nesse médico, e que o único ônibus que tinha era aquele, mas ele precisava andar muito. Então o levei ate o prédio. Ele desceu, agradeceu. Passou meu medo e eu fui embora com uma incrível sensação de alegria por ter ajudado alguém. Voces ja sentiram isso?

Isso são exemplos que aconteceram comigo, não estou querendo me engrandecer, e nem dizer que sou uma “grande alma”. Isso e um treinamento. E assim podemos procurar algo dentro de nos que nos torne melhores pessoas. Eu quero dizer que podemos fazer planos, assim como se fosse um “trabalho diário voluntário”, de fazer pequenos gestos que possam ajudar alguém e nos trazer felicidade, e alimentar nossa alma. E nos tornar menos egoistas.



Uma balinha, um café preferido, um fósforo na lareira, o jornal preferido... pensem bem, isso custa muito? Não custa não!
Tudo isso, transformando-se em alimento de alma.. um sorriso, um toque, um abraco, uma atenção, um ato misericordioso, um ato paciencioso.

As vezes olho para meu marido e vejo que sem ele perceber, ele exercita esse marketing. Ele tem uma paciência ilimitada com tudo e com todos. Em filas, em Supermercados, em Bancos. Na direção de seu carro. Na direção da nossa vida, na paciência comigo (que já é muita!).

Muitas vezes isso e uma coisa natural nas pessoas. Você já descobriu qual é o seu marketing em relação a vida?

O que precisamos é cada um de nós descobrir a nossa caixinha de fósforo. Para acender a lareira da nossa vida.



E para achá-la é preciso somente entender profundamente que o marketing da alma é feito pelo nosso coração.


Mary Fioratti

10 comentários:

bruno mateo disse...

Daqui de longe me lembrei de lhe enviar uma coisa pequenina e doce.
Que tal um beijinho daqui?
Mateo

Beatriz disse...

Mary, minha linda, doce, e tão querida amiga:

Que página mais terna tu escreveste!!! Que doçura de postagem! Quanta coisa boa nos passaste nesta preciosa mensagem!

Sabe como eu me senti, meu anjo? Como se estivesse à sua frente, sentada, mãos no queixo, te ouvindo atentamente, te olhando com ternura, recolhendo cada minuto deste aprendizado de vida que tão bem soubeste delinear em simples e tão preciosas palavras.

Quando acabei de ler, ah minha doce amiga, se eu estivesse realmente frente a você absorvendo esta valiosa lição, acredite, eu simplesmente me levantaria e te abraçaria numa imensa ternura como o teria feito (e como tantas vezes faço) com a minha própria mãe. Ah Mary, que facilidade tu tens de nos fazer emocionar dizendo coisas tão bonitas e tão importantes de uma forma tão suave e tão generosa.

Sempre que saio daqui é como se levasse um pequenino raio de sol preso no coração, presenteado por ti, pelo teu carinho para com todos que aqui te visitam. Mas hoje, amiga, confesso, estou levando um sol inteiro, com toda a sua resplandecência, em todo o seu fulgor.

Grata, minha linda, pela partilha e por esse momento tão doce!

Te deixo um ramalhete de violetas azuis atado no sorriso de mimosos anjos para enfeitar as horas que estão a te chegar. Deixo também uma pequenina estrela para enfeitar os teus sonhos e um beijo nesse coração imenso.

Com minha ternura, amizade e admiração por essa pessoa linda, doce, generosa, que tu és.

Anônimo disse...

e verdade sao coisas tao faceis de fazer e que nos raramente fazemos este post.faz/me pensar em ser menos egoista e a dar um bocadinho mais de atencao aos outros.obrigada mary. bjs angelina

☆Fanny☆ disse...

Minha querida Mary!!!

Que lindo texto, palavras que v~em do teu coração e que enchem de luz quem te lê te sente com a alma!

É por existirem pessoas assim como tu que o mundo poderá tornar-se mais bonito. Abençoados os que pensam e, acima de tudo, agem assim.

No meu dia-a-dia já procurei fazer o mesmo. Primeiro, comecei por perdoar quem me magoou muito. Não vale a pena cultivar rancores, pois estas atitudes são um veneno para a nossa alma. Segundo, tal como tu, procuro fazer o bem, mostrar o meu sorriso (embora muitas vezes escondendo lágrimas), acarinhar uma criança, um velhinho, mostrando-me acessível a ajudar quem mais precisa. Sou muito sensível, Mary e choro sempre que vejo injustiças.

Mas infelizmente, nos tempos que correm é um risco ser-se bom. O mal está por todo o lado. Quando deste a "carona" a essa pessoa desconhecida, correste perigo... mas Deus é Grande e soube proteger o bem.

Minha querida...és LUZ. Que alegria poder ter assim uma amiga. Se estivesses aqui agora, olhava os teus olhos lindos e dar-te-ia um abraço apertadinho com muita admiração e carinho.

Fanny

BANDEIRAS disse...

Minha querida Mary,
Vou prestar mais atenção e descobrir onde está o meu marketing, ou tvz eu já saiba onde está e como ele funciona.
Grande beijo prá ti.
Ah, adorei a foto de óculos escuros, linda e feliz como sempre.

Deusa Odoyá disse...

Olá minha doce e nova amiga Mary.
Um belo ensinamento de como devemos tratar mesmo na humildade aos nossos irmãos.
Oferecendo carinho, simplicidade , e calor humano.

Muito puro seu post.
Voltarei mais vezes amiga.

Regina Coeli.

uma semana repleta de muita paz e luz.

ALF disse...

Nossa Mary, que coração bonito o seu. Não que eu tivesse dúvidas, mas esse texto cheio de mensagem e sensibilidade me trouxe um bem tão incrível. Eu mais que ninguém sei do que falas. É o que mais procuro fazer, embora ainda precise aprender e muito a praticar.

Em me emocionei bastante lendo essa tua ternura, essa tua capacidade de enxergar o quão é essencial tocarmos os corações das pessoas, idenpendente do que ela achará de nós.

Maravilhoso ler coisas tão doces, cheias de amor, singelas e leves, que fazem a alma levitar de alegria e contentamente.

MAry, como tu é um ser humano maravilhoso. Que guarda dentro de a essência primaveril da vida, da energia da Deus.

Fiquei encantado lendo essa tua imensa sensibilidade. Nem sei mais o que falar...

Meu coração apenas sorri ante tanto abrilhantamento de uma alma tão doce quanto à sua.

:)

Te gosto muito minha amiga.
Beijos e boa semana.

BANDEIRAS disse...

Oi Mary,

Voltei, sempre passo aqui mais que
algumas vezes, e olhas que não é
marketing não, é gostar mesmo...
Considero aqui um porto seguro,
neste nosso universo em redemoinho.
love you
bjs

Beatriz disse...

Minha linda, passando, relendo, enternecindo, sorrindo, partindo...
mas deixando o sorriso de um lindo anjo azul para enfeitar o teu dia, com meu carinho.

Beijos no coração!

Saramar disse...

Mary, pena que você está muito distante de mim, senão iria até aí, abraçá-la por longo tempo e sentir de mais perto esta energia especial que sinto através de suas palavras.
O seu marketing chama-se amor, querida, que você distribui abundamente, seja na vida real, seja na virtual.
Muito obrigada.

beijos, boa semana para você.
P.S. Perdoe-me a ausência, mas estive muito doente e em repouso. Agora, melhorando, volto aos poucos, a visitar os amigos. Saudades demais.