09 maio 2008


(Minha mae, eu e minha irma Maria Lucia)




OS DIVERSOS ROSTOS DE UMA MAE




Com o passar do tempo, quando ficamos mais adultos, percebemos que o modo que enxergamos nossa mae muda atraves dos anos.
Quando pequenos, o rosto de nossa mae nao tem formas, e a enxergamos sempre com os bracos estendidos. E uma imagem como se ela nao tivesse um rosto, mas apenas a bondade estampada em gestos.
Aquelas maos que nos seguram quando caimos. E que nos envolve numa nuvem de amor constante. O sorriso tambem guardamos, como se fosse um remedio para todos nossos males.
Eh o nome que chamamos interiormente quando qualquer coisa nos acontece. Como se falar “Mae!” fosse um balsamo que curasse qualquer ferida.

Com a idade, nossa mae vem na nossa lembranca de uma forma muito mais madura, e passamos a entende-la tao melhor. Pena que quando acontece esse entendimento, muitos nao tem sua mae perto para expressar os sentimentos. E assim eu me sinto hoje.

Minha mae sempre foi o espelho da mulher bonita. Sempre muito arrumada, cabelo impecavel, o batonzinho, colar, perfumadinha, como se fosse sair de casa. Po de arroz Raquel, leite de colonia, creme Nivea, perfume Charly... Posso enxergar seus pes bem feitos, dentro de uma sandalinha branca. Sua mao bonita, transpirava carinho.

Delicada. Romantica. Famosa por suas risadas que ecoavam toda a casa quando achava algo engracado. Seu espirro exagerado.

Herdei as receitas de seu bolo de batatas, sua couve flor ao molho branco, seu pimentao recheado. Seu feijao com uma colherinha de maizena (para dar consistencia ao caldo). Xuxu com ovo no forno. Seu arroz doce, manjar branco...
Lembro-me tao bem que eu a ajudava a fazer o manjar branco com puro coco natural, ficava na cozinha ajudando-a a expremer o caldo num pano de prato....

Muitas vezes eu a acompanhava no Bazar Estrela para comprar novelos de la para fazer seus casaquinhos de crianca. Ou mesmo meus coletinhos de inverno. Tive uma colecao!

Sempre assistiamos as novelas e choravamos juntas. Minha mae era o idolo de nossas amigas que vinham sempre contar seus problemas.

Lembro de minha mae muitas vezes, em pequenas coisas que faco, ou em situacoes que
Pareco viver o que ela viveu.

Abaixo vai uma poesia que fiz para ela o ano passado.

Feliz dia das Maes, mamae! Com certeza voce esta a nos espiar ai de cima, e a sorrir para
Cada um de nos.



(Minha mae, e minha filha Patricia em 1989)



PARA MINHA MAE

O tempo encurta distâncias do pensamento
Quando penso em você mãe
As lembranças começam em Ubatuba
Quando você andava com a gente
Na beira da praia
Todos nos descalços
Nus de vaidades, ou qualquer outro sentimentos
Éramos crianças
E a seguíamos sem saber para onde íamos
Molhando nossos pés na água
(e na verdade nem nos importava)

Sua beleza sempre transcendia
Na figura bem talhada, de seus olhos sombreados
Seu cabelo impecável, seu batonzinho diário
O colarzinho sempre a enfeitar o pescoço
O andar lento e gracioso
Sempre reparei em seus pés bem feitos
E em suas mãos bonitas

Ligava-me todos os dias no trabalho
Mesmo eu saindo de casa cedo
E morando em casa
Você me ligava, mãe
Para perguntar se eu estava bem
E eu lembro que isso me incomodava
Na época eu pensava: “por que ela me liga todos os dias”?

(vejo-me hoje nas atitudes de minha filha, esse meu eu refletido)

Ah! se eu pudesse hoje no meu trabalho
Receber seu telefonema diário
Ouvir a sua voz tão querida a me perguntar
Se estou bem
Eu iria parar tudo que estivesse fazendo
Eu teria tantas coisas para lhe dizer
Tantos pensamentos íntimos, tantas coisas para repartir com você

Hoje o telefone toca, mas não ouço sua voz
Não mais ouço sua voz falando meu nome
Como queria ouvi-la hoje mãe!
Perguntar se estou bem
Eu iria parar tudo que estivesse fazendo

Eu teria tantas coisas para lhe dizer
Tantos pensamentos intimos, tantas coisas para repartir com voce
Hoje o telefone toca, mas nao ouco sua voz
Nao mais ouco sua voz falando meu nome
Como queria ouvi-la hoje mae!

No entanto e assim o ciclo da vida
Entendemos tudo tão tarde
Os sentimentos se afloram e amadurecem
E nos tornamos mais verdadeiros
Percebe dores de nossa essência

Daria tudo hoje para ter somente por um momento
Aqueles nossos momentos de intimidade
Você sentada no sofá, minha cabeça em seu colo
Nos duas chorando juntas com o final da novela

Lembro bem hoje que às vezes me incomodava
Você entrar em meu quarto
Sentava-se quieta a me observar, depois me perguntava algo
Um dia, ouvindo a musica “A Atriz” cantada pelo Roberto
Voce comecou a chorar
Perguntei por que voce chorava
E voce disse: “Tao romantico!”

Queria que hoje você pudesse entrar no meu quarto
Com aquele seu sorriso incomparável
Dar-lhe um abraço interminável

Que pena mãe! Que a gente compreende tudo tão tarde
Que valorizamos momentos, situações
E que elas passam na nossa cabeça como um filme diário
Quando enfrentamos os mesmos problemas com nossos filhos
Nesses momentos eu chego a compreender tão bem
Tudo que você sentia

Hoje e seu dia, e todos homenageiam suas maes
Muitos a terao a felicidade de te-las em sua mesa de almoco
Ou mesmo ouvir pelo telefone sua voz

No entanto eu tenho minhas lembranças
Em álbuns de fotografias
Onde seu sorriso (e tambem seu olhar triste)
Estampa-se no frio do papel
Em cartas que você me escreveu
Um filme em que voce aparece...

E vejo você hoje mãe, através de meus atos
E enxergo-a tao bem, através de minha alma

Mary Fioratti

9 comentários:

Zé Carlos disse...

Um beijo enorme querida, do tamanho da saudade.....
FELIZ DIA DAS MÃES....
Fique sempre com Deus... bjs do ZC

Anônimo disse...

Mary... Como sempre, tudo que escreves vem cheio, repletinho dessa tua essência tão emoção que me leva às lágrimas. Me tocou tanto, Amiga minha... Com este pedaço teu. Desejo de todo coração que este teu dia seja especialmente repleto de amor e felicidades e todos os outros também, Amada Mary!!! Deus te abençõe, Amiga!!! Beijo grande no teu lindo coração!!! Iza

Ana França Suzuki disse...

Tem jeito não, Mary. Eu telefonava para minha mãe cinco vezes por dia
quando paapai viajava, para que ela não se sentisse só. Quando mamãe morreu, trocentas vezes peguei o telefone e comecei a discar, parando no meio porque...
ela já não iria atender. O que quer
que façamos, esbarra naquela verdade do trem da vida - não descemos todos na mesma estação.
Ana Suzuki

BANDEIRAS disse...

Mary...lindo poema p/ as mães.
Um feliz dia das mães p/ vc.
Grande beijo, adoro suas poesias.

Daniela Mann disse...

Que lindo post!
Espero que tenha passado um dia das mães muito feliz, você merece!
Um abraço muito apertadinho da sua amiga Daniela.

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá Mary, linda homenagem ás Mães!
Adorei todo o seu blogue, muto bonito... Eu já por aqui tinha passado, mas sem deixar comentário!
Agora voltei a encontrá-la no blogue do Zé Carlos e aqui estou, a deixar-te os meus sinceros Parabéns...
Beijinhos de carinho,
Fernandinha

Sergio disse...

Olá, Mary!

Minha mãe faleceu há 19 anos, mas a saudade é eterna e mãe para sempre.

Um beijo

Jardim das Rosas disse...

Minha querida Mary...vim aqui te ver...e como já comentei das delícias do verão..cheguei aqui neste recantinho lindo com a tua mãr e amei tudo, as fotos e o texto..mãe é um tesouro nosso, e a minha faz 82 anos no domingo, e vamos nos reunir pro almoço, porque há dois anos e meio perdeu meu mano, grande companheirão que morava com ela e não quis mais comemorar; mas este ano ela resolveu prestigiar os outros quatro filhos e um monte de netos, e nós todos ficamos muito felizes..e veja ela tb perdeu a cadelinha kika agora há um mes atrás, com quinze anos de idade; mas a imnha mama é um exemplo de força, coragem e alegria...todas as mães são sagradas e maravilhosas. Uma noite plena de alegrias..Beijos carinhosos, guida

Anônimo disse...

Olá Mary

Que prazer ler o teu blog.
Anotei isto:
"Sou assim
Coração verdadeiro
Emoção por inteiro
Canção sem um fim "

Nota-se com a exponteneidade que voce se mostra neste site.
Uma verdadeira celebração de alguém que sabe que a felicidade (que está dentro de nós) existe e deve ser mostrada.

Parabéns pelo aniversário.
Um abraço
Edimo Ginot