18 julho 2007





O TRABALHO É ESSENCIAL EM MINHA VIDA





Comecei a trabalhar quando tinha 19 anos. Apaixonei-me pelo fato de ter meu proprio dinheiro, de poder comprar o que quisesse. Aquela liberdade me fascinou!
Meu primeiro emprego foi no CTA em S.Jose dos Campos, no P.M.R. (Pesquisa de Materiais Raros). Entrei como Datilografa. Meu avo paterno quem me ajudou a encontrar esse emprego.

E daquele tempo para ca, nunca mais parei. Trabalhei na Sociedade Construtora Aeronautica Neiva (hoje parte da Embraer), Ericsson (onde trabalhei com tres suecos), na Johnson&Johnson, e finalmente na Bristol Myers Squibb, em Sao Paulo.

Mas quero contar aqui uma passagem da Johnson, muito engracada. Eu trabalhava no Planejamento de Producao. Entao, sempre faziamos festinhas de aniversario para o pessoal. Um dia, no aniversario de um deles, encomendamos empadinhas. Entao la fui eu e o Alencar buscar as empadinhas (nao me lembro se voce foi, Mario!).
Aquele dia chovia muito. Descemos na casa da mulher que encomendamos as empadinhas, e ao levar para o carro, na hora de entrar, metade das empadinhas cairam no chao (na lama mesmo). O Alencar e eu ficamos desesperados. Todo mundo estava esperando as famosas empadinhas da d. Herta! Nos abaixamos e comecamos a limpar as empadinhas. Uma por uma. (hahahahaha! foi muito engracado). Nos riamos de chorar. Colocamos tudo no lugar, e chegamos na festa.
Nos nao comemos (risos). Enquanto todos comiam, o Alencar e eu trocavamos olhares hilarios...
No outro dia contamos para o pessoal e eles nao acreditaram que fizemos isso.

Quando meu marido mudou para S.Paulo, (1985) em um novo emprego, ele mudou primeiro, e fiquei na Johnson ainda. E comecei tentar arrumar um emprego em Sao Paulo.
Tantas idas e vindas, entrevistas, frustracoes. Ate que fui entrevistada pelo Diretor de Materiais da Squibb.

A entrevista foi marcada na sua casa, em Sao Paulo. Quando entrei no predio, no elevador, ja vi que o nivel dele era altissimo.
Era um apartamento por andar. Abriu-se a porta do elevador, e la estava a minha espera uma empregada toda vestida de branco.
Entrei em um dos apartamentos mais bonitos que ja vi. Uma decoracao maravilhosa, cheia de tapetes persas, objetos de arte.
Meu primeiro pensamento foi: "O que estou fazendo aqui?".
Logo veio o Sr. Martits, muito bem vestido, educadissimo. Sentamos para conversar e ele seguiu meu Curriculum perguntando uma serie de coisas. Entao comecou a falar Ingles. Naquele tempo eu "achava" que falava, mas ate que consegui ser fluente e responder a todas suas perguntas, depois de ter terminado a escola de Ingles FISK, e a Cultura Inglesa...
A empregada trouxe cafezinho, tudo chiquerrimo. Uma mesa de vidro perto da janela, cheia de samambaias. Parecia filme de cinema. (risos).
No fim da entrevista ele disse assim para mim: "Olha...voce nao esta preparada ainda para ser uma Secretaria de Diretoria. Mas eu vou apostar em voce. E vou treina-la, e passar em voce um verniz".
Verniz? Eu? Na hora me senti uma mesa.
Ate hoje meu marido brinca dizendo: "Bem que o Sr. Martits falava que voce precisava de uma camadinha de verniz". Risos.
Foi uma experiencia realmente gratificante. Foi uma epoca que muito marcou minha vida. Aprendi muito, cresci muito, e realmente fiquei mais "envernizada".

Quando vim para os EUA eu nao podia trabalhar, pois somente meu marido tinha o Green Card.
Ficava em casa assistindo novela e escrevendo termos que nao conhecia. Escutava fitas, e nessa epoca me tornei uma eximia dona de casa (quem diria!).
Ate que resolvi fazer o "ESL" (English as a Second Language) a noite. Meu marido ficava com minha filha, e la ia eu. Essa foi uma epoca maravilhosa, onde conheci pessoas incriveis de outros paises.
E tive como minha melhor amiga, minha professora, Joanne.

Vivemos 4 anos em Detroit e nao pude trabalhar. Quando meu marido foi promovido e fomos transferidos para Cincinnati, tive entao o meu Green Card, e com isso a oportunidade de trabalhar.
Rapidamente fui nas Agencias Temporarias. Achei que seria um bom modo de comecar a conhecer o modo do americano trabalhar.

Meu primeiro emprego foi num Escritorio Financeiro, finerrimo! Eu ia de terninho, toda executiva, e somente tirava copias de documentos das 8 as 5 (risos). Mas nao deixou de ser uma boa experiencia.

Depois disso, trabalhei na Procter & Gamble, e outras empresas, (com trabalhos no computador) ate que fui parar na Eagle Services, uma Empresa Construtora e Eletrica. La fiquei dez anos e so sai porque a Empresa fechou. La eu fui na acepcao da palavra, Assistente Administrativa. Fazia trabalho para todo o escritorio (Presidente, Vice-Presidente, 3 Gerentes, e 4 Supervisores). Foi o tempo melhor da minha vida.

Hoje trabalho meio periodo na Franklin Financial (empresa Financeira) Segundas, Quartas e Sextas,(sou responsavel pelo arquivo eletronico, algumas cartas e relatorios mensais, alem do telefone, e etc..) e nas Tercas e Quintas, trabalho em outra empresa, Sporto Motoring (nessa empresa eles vendem acessorios para protecao de carros, e muitas outras coisas, tudo pelo internet, super interessante, comecei a aprender muita coisa nova, e novos softwares, o que adoro aprender!).
E em Setembro, vou comecar a trabalhar na parte da tarde para uma Advogada que trabalha no mesmo predio da Franklin. Ajuda-la na organizacao e telefones (o que mais gosto).

Vou dizer uma coisa para voces: eu amo trabalhar! Adoro aprender coisas novas, diferentes. E gosto de GENTE. De pessoas.
Acho que quando a gente trabalha, a cabeca nao enferruja. Nao temos tempo de pensar em problemas. Sentimo-nos uteis.

Nem penso em me aposentar. Quero trabalhar ate quando puder. O meu fim vai ser trabalhar como "Wallmart Greeter".
Sao pessoas velhas, que ficam na porta do Wallmart saudando as pessoas que chegam:
"Bom dia! Seja bem vindo ao Wallmart!" "O sr. precisa de um carrinho?" "Ah que bonitinho seu filho!". "Nossa que chuva, heim?" "Olha, as promocoes estao otimas hoje!"

Quando penso que meu pai com 70 anos queria tanto trabalhar e nao tinha oportunidade.
Vejo essas pessoas velhas aqui que tem a oportunidade de sairem de casa, e serem uteis e ainda ganharem seu dinheirinho.
Eu as respeito muito! Sempre paro para uma conversinha, como uma boa brasileira.

Entao, eu vou ser assim, olhem:



E se me encontrarem, sejam simpaticos comigo. Tenham paciencia se eu nao escutar, ou nao entender da primeira vez que voces falarem, ta?

E no meu tumulo, quero escrito assim: "No dia em que morreu, trabalhou meio periodo".




Mary Fioratti

PS: Voces se lembram dessa musica, o tema do filme "AEROPORTO"? Ao ouvi-la, senti uma saudade nao sei do que! (novidade, ne?). O "meu nome é Saudade".

17 comentários:

Zé Carlos disse...

Mary querida, com vc eu desisto, sempre prometo ficar sério mas é impossível.... vou trazer vc de volta ao Brasil para redatora do programa do Jô ...
Mas vc como Wallmart Greeter é demais, né não?
Beijo querida, ZC**

Anônimo disse...

Bom dia querida kkkkkkkkk

Até vc? kkkkkkkk
Olha eu mandei o pijama de seda azul no meio das tralhas de pesca, vamos ver se o moço acha kkkkkk
Senão ja sabe... kkkkkkkkkk

beijos da Beta!

Nani disse...

Querida Mary...

é com grande prazer que vejo meu cantinho assinalado no teu.

Um beijinho grande para ti

Nani

Ps.: A tua foto no futuro está demais... hihi

Abraço

Chave da Poesia disse...

Delícia de blog, Mary, mas por favor, não me leve empadas no dia do meu aniversário!!!!!!
Beijos, Sylvia

Ricardo Rayol disse...

Uma deliciosa passagem de sua vida Mary, muito legal. E o epitáfio é matador.

Anônimo disse...

Bom dia querida, dei muita risada com seu texto, ótimo mesmo, mas não quero empada sua kkkkkkk

Quer dizer então que seu nome é trabalho? Trabalhe um pouco por mim então kkkkkkkkkk Gosto de ficar em casa quieta, embora eu esteja trabalhando, mas não tenho horário nem pra chegar e nem pra sair kkkkkkkk Ou melhor, tenho que aguentar gozações pois comecei indo de manhã e dizia meu horario é até meio dia kkkkkkkk e tinha dia que eu chegava as onze kkkkkk Mas so disfarço mesmo. Agora preciso ir pro tronco de verdade e olha a hora aqui são 9:20 kkkkkkk Um feliz dia dos amigos a vc querida!

beijos da Beta!

A.S. disse...

Acabei de chegar e vim deliciar-me nas tuas senpre fascinantes palavras!


Deixo-te um beijo...

daniel sant'iago disse...

Olá, Mary!
Chegou aí o beijinho? Deve demorar...
Hoje... só quero dizer... obrigado!
Porque partilhas a tua vida.
Parece fácil...

mixtu disse...

yayaayya
trabalho, faz cada vez mais parte da nossa vida...

lindo percurso...

abrazo, hoje de muita amizade

Sil Porto disse...

Boa noite minha querida Mary
Vim deixar um beijo por este dia tão especial. E desejar que tenha um maravilhoso final de semana.
Obrigada pelo carinho minha amiga querida.

Perdão, mas vou deixar uma colinha. Estou meio debilitada. Ainda volto com mais calma.

Obrigado Amiga

Oi! Eu gostaria de te dizer que...
Tu sabes, né...
As vezes as palavras...
Eu estive pensando em...
Puxa vida, eu...
Bem, o que eu...
tenho pra dizer é...
O que eu gostaria de dizer...
é que tu amigo(a)
É muito especial pra mim...
Enche a minha "caixinha" com mensagens
lindas, de conforto, amizade
e muito, mas muito...
"Carinho"...
Por este motivo estou aqui...
pra te dizer de
todo coração...
Que meus dias são bem melhores
muito mais alegres...
Quando abro minha caixinha
e vejo as lindas mensagens tuas...
Obrigada Amiga
POR EXISTIRES!

Beijo no coração e fique com Deus.
Sil

Sil Porto disse...

Boa noite Mary querida
Vim agradecer seu carinho imenso, deixar um beijo enorme e desejar um maravilhoso domingo de muita paz no seu coração.

Menina!! Justo com as empadas? É o salgadinho que mais gosto. rsrsss
Mas sempre tem uma solução para tudo.

Concordo com você. O trabalho para mim é essecial também. Se eu não trabalhar fico doente... e quando algo me deixa doente o trabalho me ajuda muito.

Beijão... Sil

Jéssica disse...

Que lindo, doce Mary... meu dia foi desanimador, melhores já quse de noitinha, mas entrar aqui me fez muito bem, sorri e chorei ao mesmo tempo. Chorei pois não posso trabalhar, pelo menos não fora de casa, pior q eum casa tb não posso e palavra, me deu uma pontinha de inveja, mas uma inveja boa, na verdade, mais uma vontade de ter feito ou de estar fazendo a mesma coisa q vc e a maioria das pessoas. E sorri, pq pensei assim, nunca keu vou querer comer das empadinhas da Mary...rs... Tô fora...
Menina, até q vc vai ser uma velhinha bem bonitinha, sabia?
Beijos, beijos e mais beijos. Vc é uma das criaturas mais lindas q eu já 'conheci'*.*

jguerra disse...

Olá. Realmente culturas diferentes. Em Portugal ainda há a mania que o trabalho é para a vida. Só se sai dele para a reforma ou porque fomos despedidos e ficamos aborrecidos no desemprego, sem querer olhar para a vida.

Abraço

ALF O Extasiado disse...

É, com essa alma que tu tem, só poderia ser assim tão disposta a vida né.

Muito bela sua determinação, essa sua vontade, esse gosot de trabalhar.

Realmente fascinante.
Também gosto muito de trabalhar.
Acho que ficar parado me cansa
hahahahaha

Minha amiga.
Beijos
Tenha uma linda semana, com dias dourados. (em clima de pan)
hehe

Daniela Mann disse...

Eu amo estes seus posts! Você é uma pessoa muito especial!

Poemas e Cotidiano disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Mary, comentando o seu blog:
Nunca te perdoei.
Bem que senti um gostinho de terra nas coxinhas (rs). Eu não estava com voces. Nestas horas, voce preferia o Alencar para nos sacanear. Também, se eu soubesse contaria tudo para o Sr. Nestor. Inclusisive, eu percebi que quando ele falava comendo salgadinhos, além da farinha, saia também terra. (rs).


1) No seu currículo (nos EUA) voce colocava "expert em xerox"??? Eu brinco assim mas não deve ser fácio o primeiro emprego num país que não é o nosso, não?

2) Foi o tempo melhor da minha vida (Eagle). Mary, o melhor tempo da sua vida foi na J&J, não é Etel??? Voce NUNCA esquece....

3) Outra coisa, dá para perceber nas fotos que realmente, depois que voce saiu da J&J, voce está mais brilhante (acho que foi o verniz) rs,rs, rs, res.......


Beijos.
Mário