15 maio 2009



O BAILADO DAS MÃOS



no bailado das mãos
retorcem-se os dedos
curvam-se as palmas
na caricia
ondas de volúpia
num mar desconhecido
de delícias
furta-se o pensamento
num olhar perceptivo
e as mãos prosseguem
despertando a pele
sem aviso
e o som do suspiro
em dueto com o coração
é melodia rítmica
e arrítmica
dueto sem rima
que nos gestos
se afina
cabelos jogados no travesseiro
e o palco dos olhos
é o teto do quarto
e as palmas se movem
como ondas suaves e breves
que crescem e decrescem
na letargia
as maos se tocam com urgencia
e os dedos entrelaçam-se
unidos e infinitos de paz
na madrugada suave
morrem os gestos
como o bailado do cisne
mas renascem na manhã
quando na penumbra
minhas mãos tocarem seus cabelos
e com um beijo
minha boca procurar a sua
com desejo

Mary Fioratti

15 comentários:

BANDEIRAS disse...

Uau ! poesia linda e sensual !

Vc, sempre cheia de amor prá dar...

Como é bom vir aqui e ler essas poesias. Vc descreve uma cena de paixão e prazer. Tão perfeita que desenhei em minha mente o quadro.

Bjs amiga
Love You.

FERNANDA & POEMAS disse...

OLÁ QUERIDA MARY, BELÍSSIMA POESIA... SIMPLESMENTE SUBLIME... ADOREI AMIGA!!!
VOTOS DE UM BELO FIM DE SEMANA... ABRAÇOS DE AMIZADE,
FERNANDINHA

Sonia Schmorantz disse...

Que bonito, Mary! Escrito com a alma na ponta dos dedos...
Lindo final de semana
beijos

ZezinhoMota disse...

Mary!

Amiga querida. A tua escrita é o realce ao amor e o teu coração diz bem a importância de se realizar com os sentimentos de amor.

Feliz fim de semana.

Bjnhs

ZezinhoMota

Meg disse...

Uma "alma mater", é o que poderei comentar sobre o teu Blogg.
Vou passando, aqui mora o afecto em palavras.
Abraço
Meg
www.bichaneca.blogspot.com

CrisBoro disse...

O toque, o beijo... é o começo e o termômetro de tudo que há por vir. A entrega completa, corpo e alma, unidos... ai como isso é bommmmmmm. Minha amiga, seu poema mexe com a sensualidade. Lindo.
Beijos lindona

Ester disse...

Adorei esse poema, onde as mãos tem uma linguagem própria e harmoniosa!

sutilezas que fazem toda a diferença!


bjs amiga!

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Pensamos demasiadamente
Sentimos muito pouco
Necessitamos mais de humildade
Que de máquinas.
Mais de bondade e ternura
Que de inteligência.
Sem isso,
A vida se tornará violenta e
Tudo se perderá.

(Charles Chaplin)

Hoje passando para desejar um final de semana com muito amor e carinho.
Abraços do amigo Eduardo Poisl

Sonia Pallone disse...

Adorei querida Mary...Escorrendo paixão... Bjo grande e obrigada pelo carinho lá no meu Solidão.

pimentinhabm disse...

lendo teu blog, me lembrei de um filme que vi ontem, "a pele"!
bjus

Mírtilo MR disse...

Poema lindo,bem ritmado, crescente, idílico, feito com a alma nas mãos, como que solta no exterior e dançando sob a forma de carícias tão sensíveis, doces, sensuais, voluptuosas, que foram culminar certamente no mais docemente e desejadamente supremo momento dos sentidos.
Os meus parabéns e elogios por tão singular e maravilhoso poema.
Um respeitoso beijo.

Mírtilo

BANDEIRAS disse...

Oi querida,

Passando para te deixar um grande beijo.

Cesar Cruz disse...

Olá, Mary!

Delícia de poema... invejo vcs poetas; eu mal escrevo minhas croniquinhas!

Mary, temos aquelas duas coisas em comum: os vinhos (estou tomando um Malbec, agota mesmo) e nossas filhas adotivas.

Entre no meu blogue qdo der tempo. Fiz uma crônica que quero saber se vc se identificará. Está na home, chama-se: os "olhos dos outros".

Agora me dê licença, pois vou me atualizar no seu blog. faz tempo que não venho aqui.

bjs de São Paulo, Capital
Cesar

Nuno G. disse...

muito bonito!!!! musicalidade estupenda e mensagem de amor linda!

www.minha-gaveta.blogspot.com

ParadoXos disse...

mesmo de olhos fechados, só de ouvir, eu saberia reconhecer... este é um poema da Mary!! só pode ser. a forma como enches de sensualidade as palavras é já uma marca tua que marca cada poética por ti desenhada. atrevo-me mesmo a ir um pouco mais longe e dizer-te que estou perante um climax verbal, escrito, começo o poema e ao chegar ao fim já vou com 360 graus de quentura nos olhos... e queima...
continuo a amar com amizade tudo o que escreves, tudo o que és, Mary!

beijão, comigo dentro
bom domingo querida!


ah, é assim que vou aprendendo, sim!!