02 agosto 2010



UM POUCO DE VIDA


Chega o verão, e a minha terapia é andar. Tenho verdadeira paixão de sair andando, sem rumo.
As primeiras milhas são mais difíceis, até "esquentar o motor". Depois de umas 3 milhas (4.5km) começo então a andar facilmente, e quanto mais ando, mais tenho vontade de andar.
Relaxa meu corpo, além de eu estar com meu radinho no ouvido, ouvindo meus programas favoritos. Então por um bom tempo eu não penso em nada. Somente ando, com minha maquina fotográfica na mão

Ontem tirei a foto desse girassol.



Acho o girassol uma flor tão digna! Sempre ereta, cabeça para cima, e a brilhar como um sol.

Acho que é assim que eu vejo a vida.

Um dia eu estava pensando que dificilmente alguém me vê triste. E isso porque eu não sou uma pessoa triste. Acordo todos os dias feliz.
Ser feliz é algo natural em minha vida. Não dependo de ninguém para ser feliz. Ou que algo aconteça para que eu seja feliz. Naturalmente eu sou.
Aprendi com os anos o quanto a mente pode influenciar um dia, uma situação E como ela pode mudar o rumo das coisas. Posso ficar triste momentaneamente. Mas procuro uma forma rápida para sair das minhas tristezas.

Tenho meus dias de introspecção. Mas dificilmente aparece em meu rosto. A hora que mais penso é na hora de dormir. Deito e fico a pensar em tudo, de uma forma generalizada. E rezo. Sempre agradeço, e focalizo interiormente meus amigos. Minha familia. Os rostos vão passando como num álbum de fotografias. Há alguns rostos em que paro, e que lembranças vem de momentos passados juntos. De risadas. De abraços De significados que marcaram. E penso como sou rica de amizades.

Todas as noites lembro-me de meus pais. Seus rostos, seus gestos. A personalidade que cada um tinha, as heranças de vida que me deixaram. Existe herança mais valiosa do que momentos? Coisas que ficaram e que ninguem pode tirar de nossa memoria?

Todos os momentos de minha vida são importantes. E foram importantes.

Curto acordar de manhã, descer para tomar meu café Primeiro, um café solitário, purinho, depois um café acompanhada com meu marido, então aquela hora fico a pensar há quantos anos sentamos juntos para tomarmos café de manha. Sempre vem as conversas, os planos do dia, as nossas preocupações, as nossas alegrias, o beijo de bom dia.
Todos os dias levo-o até a porta e vejo-o sair. Como um filme que se repete anos e anos. Algumas vezes ele para para olhar a arvore que plantou.



Ja falei isso em um post anterior, mas o dia que ele plantou, eu estava sentada no degrauzinho da nossa porta de entrada. E senti uma emoção tão grande, pensando que quando esta árvore estivesse grande, nao estariamos mais aqui. E fiquei a pensar quem estaria nessa casa, como aqueles filmes que a gente ouve as risadas dos dias felizes, dos momentos todos em pedaços.

As vezes olho fotografias nossas antigas, e fico a nos enxergar como aqueles filmes que passam rápidos - sabem como é? um casal jovenzinho, e com o tempo a vida mudando, as coisas acontecendo, os filhos chegando, os cabelos brancos, as rugas, as certas limitações. As risadas. As implicâncias. O dia a dia... Cada um com sua preferência, com suas manias.

Como é bonita a vida! Quanto encanto tem em cada coisa que fazemos, que experimentamos. A cada movimento. A cada toque.
Poder olhar tudo com nossos olhos. As cores. As pessoas. Aprender todos os dias uma coisa nova. Criar. Renovar. Sentir, sempre sentir muito.

Muitas vezes anestesiamos nosso verdadeiro sentimento levando-nos pela rotina. Eu sou uma pessoa que luto muito contra isso! Estou sempre, sempre, mas SEMPRE procurando algo novo. Tenho que todos os dias tentar uma coisa nova, seja ela qual for: ou um café diferente, ou um caminho diferente, uma atitude diferente, ouvir uma musica diferente. E fico pensando quantas coisas, mil delas, ainda não conhecemos e temos a disposição para experimentar. O mundo é uma infindavel caixinha de surpresas.

Gosto de fotografar flores. Fico a observá-las quase não acreditando na beleza e perfeição. Existe uma prova mais concreta de Deus, do que através da natureza? Na delicadeza e perfeição de uma flor?

Vejam essas:
















Deus borda nossos dias, com detalhes que se procurarmos com nossos olhos, veremos muitos!
E além dos detalhes "visíveis", existem aqueles "invisíveis" trazidos por gestos de pessoas que muitas vezes nem conhecemos. De palavras que nos são ditas em horas que precisamos ouvi-las. De um carinho vindo de repente, sem esperarmos. Existem tantas mensagens que passam despercebidas e que Deus nos entrega diariamente.

Hoje mesmo tive uma conversa tão profunda com uma amiga de trabalho sobre filhos. Ela me disse uma coisas tão significativas que eu precisava aprender. Sinto-me as vezes como uma criança engatinhando e encontrando coisas que nunca vi e sentindo sensações que nunca senti.

Com o tempo percebi como a verdade é um fato importante para estarmos bem dentro de nós. E tão fácil nos acomodarmos na verdade. Porque não há necessidade de "lembrá-la", quando a encontramos ela se torna uma parte imprescindível de nossa vida.

E essa verdade tem a ver com tantas coisas: amigos, Deus, trabalho, família, filhos, chefes, até pessoas que nao conhecemos.

Vejam um pedaço de um escrito muito lindo de Vergílio Ferreira, um escritor Português sobre a Verdade:

"Leio um ensaio de há vinte anos e sinto que eu tinha menos vinte anos. Há um nível etário para a mesma verdade nos existir. A verdade de que falei há vinte anos é-me exatamente a de hoje; e todavia há um desfasamento no modo como corri para ela e me entusiasmei com ela e me comovi com ela. Tudo agora me acontece ainda mas num registro diferente. Não é em si que as verdades envelhecem: é com as rugas que temos no rosto e na alma".

Não é lindo isso?

Para terminar, deixo para vocês aqui uma musica do Djavan que gosto muito! "Meu bem Querer". Adoro sua voz, e sua interpretação, especialmente nessa musica.




Mary Fioratti

10 comentários:

BANDEIRAS disse...

Oi linda amiga !

Por coincidencia, fiz um post sobre o girassol, amo as flores amarelas e o girassol é minha favorita.
E a música do Djavan é 10 ! adoro as músicas dele.

Teu jardim tá lindo, fiquei com inveja - rsrsrsrsrsrsr

Desculpe...

Bjs e fica com Deus

Zé Carlos disse...

As mãos da minha avó

A minha avó que tinha mais de 90 anos, estava sentada num banco na varanda, e tinha um aspeto fraco.
Ela não se mexia, estava apenas sentada a fixar as mãos.
Quando me sentei ao pé dela, nem sequer se mexeu, não teve nenhuma reação.
Eu não a queria perturbar, mas ao fim dum certo tempo perguntei-lhe se ela estava bem.
Ela levantou a cabeça e sorriu para mim.
- Sim, eu estou bem, não te preocupes, respondeu ela com uma voz forte e clara.
- Eu não a queria incomodar, mas você estava aí com o olhar fixado nas suas mãos, e eu apenas pretendi saber se estava tudo bem consigo.
- Já alguma vez viste bem as tuas mãos ? perguntou-me ela.
Quer dizer, vê-las como deve de ser.
Então eu olhei para as minhas mãos e fixei-as.
Sem compreender bem o que ela queria dizer, respondi que não, nunca tinha olhado bem para as minhas mãos.
A minha avó sorriu para mim e contou-me o seguinte:
Pára um bocadinho e pensa bem como as tuas mãos te têm servido desde a tua nascença.
- As minhas mãos cheias de rugas, secas e fracas, foram as ferramentas que eu utilizei para abraçar a vida
Elas permitiram agarrar-me a qualquer coisa para evitar de cair antes de eu aprender a andar.
Elas levaram a comida à minha boca e vestiram-me
Quando era criança a minha mãe mostrou-me como uni-las para rezar.
Elas ataram as minhas botas e meus sapatos.
(continua)

Zé Carlos disse...

(Continuação)
Elas tocaram no meu marido e enxugaram as minhas lágrimas quando ele foi para a guerra.
Elas já estiveram sujas, cortadas, enrugadas e inchadas.
Elas não tiveram jeito nenhum quando tentei segurar o meu primeiro filho.
Decoradas com a aliança de casamento, elas mostraram ao mundo que eu amava alguém único e especial.
Elas escreveram cartas ao teu avô, e tremeram quando ele foi enterrado.
Elas seguraram os meus filhos, depois os meus netos, consolaram os vizinhos e também tremeram de raiva quando havia alguma coisa que eu não compreendia.
Elas cobriram a minha cara, pentearam os meus cabelos e lavaram o meu corpo.
Elas já estiveram pegajosas, húmidas, secas e com rugas.
Hoje como nada funciona como dantes para mim, elas continuam a amparar-me e eu ainda as uno para orar.
Estas mãos contêm a história da minha vida.
Mas o mais importante é que serão estas mesmas mãos que um dia Deus segurará para me levar com ele para o seu Paraíso.
Com elas, Ele me colocará a Seu lado.
E lá eu poderei utilisá-las para tocar na face de Cristo.
- Pensativo eu olhava para as nossas mãos.
Nunca mais as verei da mesma maneira.
Mais tarde Deus estendeu as Suas mãos e levou a minha avó para Ele.
Quando eu me aleijo nas mãos, quando elas são sensíveis, quando acarinho os meus filhos, ou a minha esposa, penso sempre na minha avó.
Apesar da sua idade avançada, ainda teve inteligência suficiente para me fazer compreender o valor das minhas mãos.

**Traduzido por Faustino Rosário

Beijão do Zé Carlos

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Mary,

Faz anos e anos que não ando com tanta tranquilidade, pois é isso que seu post transmite, mansidão. Olhar essas flores, a árvore que Roque plantou, esses álbuns de fotos, essa comunhão com Deus na hora de dormir. Como é bom sentir que a vida foi generosa, que mesmo com tantos altos e baixos ainda temos motivos pra sorrir, sorrir de verdade, sabe? Ando muito temerosa ultimamente, o mundo maluco anda me colocando medo, e quando faço minha oração antes de dormir, pedindo a Deus pra colocar todos os anjos ao nosso redor protegendo, sinto que sou escutada e, quase que imediatamente, aquela sensação de paz vem de encontro ao de meu sono e logo durmo. Suas palavras sempre são felizes, tudo em ti irradia alegria, nada é pra baixo, tudo é no alto e avante.

Adoro e adoro você, menina linda do meu coração.

Beijo bem grandão:


Rebeca

-

João Videira Santos disse...

A vida faz-se caminhando e caminhando, vivemo-la no que vemos e deixamos escrito ou em cada recanto da memória...

Anita disse...

É tão bom sentir essa tua vibração, há muitas poucas pessoas como tu minha querida e eu adoro-te por isso.
És simples e muito humana.

Continua assim, feliz, e sorrindo :)

Um beijinho muito grande*

daniel sant' iago disse...

Contigo recordo-me sempre.
Beijos.

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Mary linda,

Não sou boa em poesia, já tentei mas nada sai... mas vou tentar fazer uma, viu? Não prometo, mas tento! ;)

E essas imagens fofas são maravilhosas. Essa sua delicadeza é sentida por mim, de verdade, menina linda.

Beijo bem grandão.

Rebeca

-

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Mary, sinto que a rotina tranquila é uma boa pedida... não a rotina acomodada.

Sem dúvida esse dueto dá o que falar.

até mais.

Jota Cê

Zé Carlos disse...

Mary, dê um forte abraço do DIA DOS PAIS, no Roque.... que ele seja feliz !!!!!!!1

Bjs do ZC