26 fevereiro 2006




METAMORFOSE




O céu de minhas ilusões
Pintado de cor-de-rosa
Coloria os meus dias
E o sol atrás da montanha
De minha alma transparente
Brincava com a minha fantasia
Noites que eram floridas de sonho
Quando as estrelas buscavam
Na paisagem do meu coração
Palavras para bordar folhas e folhas
Quando a poesia corria pelas minhas mãos
Tempo de sonho… quando eu sorria por nada
E era feliz apenas porque era Lei!
De repente…tão de repente…
Foi um instante….profundo e sofrido
Uma metamorfose nua e crua
Pintou as paredes de minha ilusao
De um branco palido e sem brilho
Gravou palavras naquela tarde fria
Quando um pedaço do seu coração
Ficou alinhavado para sempre
na minha fantasia

®Mary Fioratti

3 comentários:

Zé Carlos disse...

... maravilhosa inspiração desta menina poeta e felizes nós que a temos para encanto de nossas almas.... bjs do amigo...

Tatiana Valentina disse...

e que belissimo poema... gostei mesmo muito...parabéns !

Betty Branco Martins disse...

Palavras de sonho... com a suavidade de nuvens... e o brilho de raios de sol...

Assim é a teu poema... lindo


Beijinhos