25 fevereiro 2009


PALAVRAS INÚTEIS




Tantas palavras inúteis
sentimentos inexplicados
solidão sem tamanho
alma machucada, momento parado
desilusão!
tantos engasgos entre pensamentos
frases paradas no tempo
no passado, no presente
estradas longas, passos que se arrastam
minutos que são longos
realidade estampada
na lentidão das horas
tantas palavras inúteis
tentando explicar coisas
que são etéreas, e maravilhosamente reais

Pausa!



coração que bate a distancia
como um tambor anunciando uma guerra
flui do corpo uma energia
espargindo-se no ar parado e sufocado
da distancia
tantas palavras inúteis
quando o coração esta inflamado
louco e disparado
quando o corpo geme de desejo
e a madrugada se transforma
num orgasmo calado, sufocado
tantas explicações sem motivo
quando lá fora a chuva cai intermitente
e molha essa saudade em cada

g

o

t

a

que cai na terra cheia de folhas secas
tantas palavras inúteis
para se explicar solidão
quando por si mesma ela se torna
um grande monstro sem formas
que segreda em nossos ouvidos
um amor irracional
passional
louco
manso
vital
tantas palavras inúteis
quando o encontro das almas
explode nas palavras e nos sentidos
quando a dependência do amor
se faz presente a cada dia
mostrando nesse momento
que nenhuma palavra dita
seja ela de dor
ou ódio
ou revolta
poderá mudar dentro de mim
este sentimento

Maria Fioratti

9 comentários:

Retalhos de Amor disse...

Vim aplaudir também aqui...
Pois tuas palavras são maiores
Jamais passam apenas...
Ao contrário, eternizam-se na
Memória do nosso coração, âmago
da alma!!!
Te Amo, Mary Ternura...
E à tua Poesia Maravilhosa!!!
Beijo grande no teu coração!!!
Iza

Amaral disse...

Fiz a pausa das palavras inúteis...
Mas eram tantas que nenhuma vai parecer assim, inútil...
Solta-se o coração, a saudade... acontece o amor... e tudo se transforma!
Há desejo, há energia fluindo e, em cada segredo, um gota por palavra, pensamento de loucura, um encontro dos sentidos com o sentimento maior...
Aqui chegado, silencio o momento!
Explodem palavras, resta o presente! Nada altera o que é imutável, seja ele irracional, louco ou vital!...

mateo disse...

Tens toda a razão: para que servem as palavras se não brotam de sentires e de olhares?
São outras máscaras... outros carnavais!
Bj

BANDEIRAS disse...

PALAVRAS BELÍSSIMAS...

AMIGA, DEPOIS DE 3 DIAS NUMA PRAIA DESERTA ONDE SÓ SE OUVIA O BARULHO DAS ONDAS DO MAR,ESTOU DE VOLTA A BAGACEIRA !! rsrsrsrsrsr
DIGO: A VIDA MODERNA.

BJS QUERIDA, TE AMO.

Beatriz disse...

Nenhuma palavra, inútil ou não, poderá dizer da beleza do momento em que transcendeste à própria Poesia para nos trazer versos de tão grande porte, poema de tão raro esplendor.

Mais uma vez, meu anjo, te superaste!

Fica um beijo e uma orquídea lilás perfumando o carinho que te deixo no coração.

ALF disse...

Que coisa linda Mary. Mergulhei nessas palavras por inteiro. Tão doces, tão sentimentais. Traduz bem o que as vezes nosso coração quer falar, mas não consegue expressar.

Maravilhoso minha amiga querida.
Saiba sempre que vir aqui me inspira bastante.

;)

Beijos Mary
Te adoro.

Emanuel Azevedo disse...

Muito bonito e de imenso bom gosto este post e a escolha do poema.
Um forte abraço dos Açores.
Os meus parabéns!

Jonalva Araújo disse...

Maravilhoso o que sentir ao ler esse poema!
É lindo de morrer!
Onde você encontra tanta inspiração hein?!
Beijos querida!!!
Obrigada pela visita!
Bom final de semana!

O QUATORZE disse...

Olá. Bom dia
Mais uma vez por estes lados, excelentes poemas, os textos bem estreturados.

Cantigas de portugueses
São como barcos no mar
Vão de uma alma para outra
Com riscos de naufragar.

Amizade
LUIS 14