05 fevereiro 2009



SENTIMENTOS INEXPLICÁVEIS



Ontem uma amiga de minha filha veio me visitar, e trouxe sua filhinha, ela chama-se Abbigail (Abby).
Fiquei com aquele bebezinho nos meus braços, e senti uma saudade muito grande de quando adotei minha filha, e ela um pinguinho de gente.
Acho que de todos os papeis que já desempenhei na vida, o de MÃE é o que me deixa mais realizada.
Uma vez eu li que "um filho e um pedaço do nosso coração que vive fora do corpo"... quanta verdade nessa frase!

Sempre fui uma mãe muito grudenta. Fui tão participativa na vida da minha filha, que quando ela foi para a Faculdade e mudou de casa, deu Graças a Deus! (risos).
Mas é verdade!
Estava sempre atenta aos mínimos detalhes, acompanhava-a em todos os lugares, ia busca-la... telefonava.

Lembro bem quando ela pegou o carro pela primeira vez e foi para a Escola de manha. Eu disse: "Quando chegar, me passa um torpedinho". Contei os minutos. Pareciam horas... e meu marido: "calma, ela vai ligar"... Depois de um tempo, ela me ligou: "Cheguei!" Que alivio!

Como toda mãe que se "preza" (digo em relação a sentimentos), hoje eu faria tanta coisa diferente! Sabem por que?
Depois de tanto tempo supervisionando, ficando em cima, achando que eu estava no "poder", percebi que não temos controle de NADA...
Digo: NADA...Tantas coisas aconteceram fora do meu controle.

Deus esta na direcao, no controle, e não adianta tomar as rédeas Podemos ensinar. O melhor ensinamento é aquele que mostramos o que é certo através das nossas proprias atitudes. Essa é a verdadeira influencia.
Mostramos a eles que durante esse tempo todo de vida, aprendemos alguma coisa (embora eles não acreditem e achem que não sabemos nada). Mas eu sei que um dia a ficha vai cair (assim como caiu para mim).

Não nascemos assim prontinhos como estamos hoje, com esse amadurecimento todo... A gente se esquece...não é verdade?

Minha filha e o namorado terminaram depois de 1 ano de namoro. Eu fiquei tão triste, mas tão triste, parecia que EU havia terminado um relacionamento. Fiquei numa "fossa" daquelas... imaginando que minha filha estava sofrendo... no entanto, quem estava sofrendo MAIS era eu...risos
Então um dia no telefone ela me disse: "Hoje sai com ele para conversarmos". E eu pensei: "Por que ela fez isso, que boba!"
Então lembrei de todos os bailes que quando tocava a "Estrela Dalva", eu corria para os braços do Serginho, ou quando mesmo não estando namorando, ligava para o Hugo e nos encontrávamos, de todas as vezes que sai com o Edu, sabendo que ele era noivo...

Que maravilhosa é a adolescência! A gente se entrega de uma forma tão inteira e absoluta. Não tem medo de nada. Sofre por tabela. No outro dia, o sol esta novamente brilhando, o rosto bonito, os cabelos viçosos, o corpo fresco e jovem, a vontade de recomeçar sempre.
A gente ia para a cama e dormia, sem ficar pensando no futuro.

Se fosse hoje adolescente, não teria graça Não iria fazer nada que fiz. Iria pensar muito. E não ia ter toda diversão que tive. Adolescente pensa? Não!

Quando "amadurecemos" (vamos dizer assim, em vez de dizer "envelhecemos"...não é?) pensamos muito em tudo que fazemos, nas consequencias, no "amanha". Pensamos demais, medimos demais.

Sinto saudades do meu jeito irreverente de ser, de minhas fantasias, de meus sonhos malucos, de minha ingenuidade, embora ainda continue um pouco assim. Mas existe um freio agora que antes não existia.
Parece que eu mesma segurei minhas rédeas, e disse: "ooooooa" vamos mais devagar!

Detenho-me então naquela analise psicológica que fiz quando tinha 21 anos, que dizia assim: "Detesta a analise de pormenores superficiais, vai a essência buscando a síntese".

Sou uma mulher que procura a síntese, mas não antes sem passar pela essência .
Nao gosta de pormenores superficiais mas gosta de descobrir pelos olhos. Pelo sentir. E não por pequenos detalhes.

Muitas vezes peco pela descoberta da síntese Porque há vezes em que é necessário mais análise. Mas detesto análises! Desde aquelas deitadas no divã como as sintáticas (de frases ou sentimentos).

Fico a imaginar hoje como eu seria se pudesse corrigir a "análise sintática" da minha adolescência! Ah! acho que não iria corrigir nada...queria ter aquela mesma carinha de bobinha.



Vejo que meus olhos nao mudaram. Continuam refletindo o mesmo sentimento interior. Nada se quebrou em meu olhar. Ele ainda reflete meu coração.

Hoje vivo assim: sentindo intensamente cada momento. Pisando no freio, mas não deixando nunca de sentir.


(Eu e minha filha, há alguns anos atrás, em sua fase de adolescencia)

Mary Fioratti

20 comentários:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
TANTOS VERSOS disse...

Não sei quem é mais linda....
Se a neném, ou você, com esta tua alma luminosa, e este coração imenso de amor!!!
Quantas vezes sinto saudade de mim, do que fui em essência, do que fui de pureza de alma....
Do tempo em que se acredita incondicionalmente........
Mary, amiga que amo.....tenho a mais profunda e sincera admiração por você.
Ler você, faz com que eu me encontre!
Te amo minha irmã
Bea

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA MARY, PARABÉNS PELA FILHA E NETINHA LINDAS... MUITAS FELICIDADES A TODOS... UM GRANDE ABRAÇO DE CARINHO E TERNURA,
FERNANDINHA

Nike disse...

Oi Mary
Adoro tudo que vc escreve e para lhe ser sincera, até me emociono, sabia? Vc é maravilhosa!!!

Também tenho uma filha adotiva, e a tenho como minha fortalece, ela me dá forças para suportar muitas fases críticas da minha vida!!!
E um detalhe, também sou uma mãe grudenta!!!(risos)

Beijos no seu coração

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Bela história de vida e de amor!

Beijo!Sonia Regina.

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Fazer amor é andar por
Caminhos da alma
Com o toque de um beijo
Sem pressa...
Sentir o roçar da mão no ombro
Daquele que caminha ao lado,
Acordar sempre com um
Eu te amo,
Renovado e sincero...
Ver juntos o por do sol,
Em silencio ler um livro
Numa velha poltrona..
Fazer amor é pisar na eternidade,
Fazer estrelas e sentir
O perfume das manhãs,
Sorrisos de sol,
Olhos de mar...
Fazer amor é realizar sonhos,
Viver na consistência do céu...

Sônia Schmorantz

Só passei para te desejar um lindo final de semana
Abraços

elvira carvalho disse...

Que post tão ternurento. E que delícia chegarmos a determinada altura da vida e ter recordações tão bonitas.
A bebé é linda. Eu acabei de ser avó e estou nas nuvens.
Um abraço e bom fim de semana

Zé Carlos disse...

Oi querida
Pode deixar, não falta muito tempo para vc ter a sua neta real aí junto, no seu colo.....
A Patricia já passou por quase todas as fases, a próxima será esta.
Um lindo final de semana com um pouco de sol... tomara.
Bjs do Zé

Delfim Peixoto disse...

É sempre bom voltar a lembrar os tempos felizes que já vivemos

tulipa disse...

OLÁ MARY

LINDA A MÚSICA...
BELAS AS SUAS PALAVRAS...
como sempre fico deliciada lendo o que escreve e me emociono pois me revejo nos seus sentimentos tão puros...

Mais uma visitinha, de agora em diante só ao fim de semana, pois durante a semana o meu tempo vai diminuir de forma considerável; ao fim de 10 meses em casa, vou regressar ao trabalho, mas...outro trabalho, outras pessoas, outro lugar.
Vai ser tudo novo na minha vida: Ano novo, vida nova!!!

Convido-te agora para que espreites algumas fotos da exposição, no meu blog "Momentos Perfeitos", este é mais um dos muitos momentos perfeitos da minha vida.

No outro blog faço uma homenagem merecida à minha Mãe.

Beijo terno.
Bom fim de semana.

ALF disse...

Ah os adolescentes. A adolescência nos faz enfrentar tanta coisa né Mary. Acabamos por nos por cara a cara com sentimentos conflitantes. A maioria das coisas são inexplicáveis mesmo.

Eu que me entreguei naquela relação acabei me ferindo tanto. Mas é um risco né. Quem pula alto uma hora pode cair e a dor é sempre maior.
Mas isso é viver. Melhor a dor por ter amado do que a dor sem ter vivido. As coisas são porque devem ser Mary. Amadurecemos porque caímos tantas vezes, e o tempo vai nos dando defesas, faz a gente crescer e a evitar cometer os erros. O crescimento nos faz mais sábios.

Vivi e ainda quero viver muito. Mas estou deixando a vida me indicar o caminho e as possibilidades, as escolhas.

Voltei de férias agora. Estava em Brasília e não pude deixar de ver a minha ex-namorada. Tu sabes como foi bom quando a namorei né. eu evidenciava no blog. Sabe Mary, as vezes existem coisas que não conseguimos explicar mesmo. Eu tenho muitas e uma delas é o sentimento que ainda nutro por essa menina.

Eu conversei com ela. Me abri de novo. Foi uma conversa boa sabe. Mas ficou no ar aquela sensação de que podemos um dia voltar, embora vá depender muito do destino. O que resta é acreditar né.

Mas caminho feliz minha amiga, embora tenho que ser sincero que sinto falta de um conforto no coração. Dela.
;)

Mas deixemos a vida seguir seu rumo. Me deseje sorte Mary.

Beijocas
;)

Sonia Schmorantz disse...

A palavra mágica
dorme na sombra
de um livro raro.
Como desencantá-la?
É a senha da vida
a senha do mundo.
Vou procurá-la.
Vou procurá-la a vida inteira
no mundo todo.
Se tarda o encontro, se não a encontro,
não desanimo,
procuro sempre.
Procuro sempre, e minha procura
ficará sendo
minha palavra.

Carlos Drummond

Lindo domingo!
abraços

JC disse...

Os nossos filhos são um pedaço de nós.Por muito que nos queiramos alhear preocupamo-nos sempre com eles. Os problemas deles são os nossos problemas. As alegrias deles são as nossas alegrias. Como são importantes para nós. Será que conseguiriamos viver sem eles? Acho que era muito difícil.
Quanto à adolescência acho que todos nós provavelmente fariamos, hoje, coisas diferentes, umas melhores outras piores, mas diferentes.
Sempre é bom ser diferente.
Gosto de primar pela diferença.
Beijinhos

Ni disse...

Meu Deus, que lindo texto, Mary! E essa foto de você novinha lindissima!
Eu lamento a minha mãe não ter tido paciência nem disponibilidade para ser grudenta, podia não gostar na altura mas agora iria pensar e tudo ficaria no meu coração! Mas fica na mesma, foram menos gestos mas o maior controla tudo em mim, não é mãe, é minha mãe!
Muito boa a sua compreensão com a sua filhota, a capacidade que você tem de relembrar o que fez na idade dela e de a apoiar por isso mesmo!

Mary, você é uma pessoa extraordinária!

Alguma vez veio a Portugal?? Eu sei que você ia Adorar! ;)

Um beijinho muito, mas muito grande*

mateo disse...

Ainda não me arrependi de chegar pelos sentires e sentimentos até à razão... E chegado aqui, decidir-me pelo que gosto...
Fácil de escrever. Eu sei...
Beijo.

Beatriz disse...

Minha linda amiga Mary: três fotos, três momentos de ternura, um texto de encantar a alma. Quando entro aqui, confesso, não consigo sair sem esmiuçar cada palavra e imagem que postas. Continuas a nos trazer emoções delicadas e sentimentos fortes com aquilo que escreves, meu anjo! Adoro ler-te!

Depois de uma prolongada ausência, estou de volta! Não mais no CARTAS, mas agora neste cantinho: http://meirelesbeatriz.blogs.sapo.pt, onde espero continuar a merecer o prazer de tuas visitas.

Com atraso, mas dentro do mesmo carinho, que o ano de 2009 seja o mais lindo de tua vida.

Fica minha saudade num beijo no teu coração.

Patricia disse...

e é tão bom podermos viver as paixões de forma arrebatada, sem pensar no ontem, no hoje ou no amanhã... é nesse sentido que devemos manter sempre uma réstea de adolescência dentro de nós... para podermos viver a vida com mais genuidade e podermos ser felizes.

bjs

Retalhos de Amor disse...

Não deixando nunca de sentir!!!
Eis a essência... A alma do ser,
estar, viver e permanecer!!!
És linda, Mary Ternura... E eu,
sinto orgulho por ser tua Amiga!!!
Beijão, viu... Daqueles estralados,
cheios de carinho, minha Amada Amiga!!!
Iza

ParadoXos disse...

acho que são esses momentos de carinho e fraternidade que fazem de ti a pessoa linda por dentro e por fora que és amiga Mary!!
este post é mais uma prova disso mesmo!! sente-se esse calor humano desde lá atrás até aqui no presente, sabes!
um beijão encantado do fundo do coração!!

Heduardo


gostei de sentir!!

ellen disse...

a propósito de uma comentário seu neste Post, eu escrevi um post sobre a palavra "Três Letras" (mãe) e deixo-lhe aqui um excerto dela...

Ser mãe,
é saber proteger,
saber ouvir e cuidar,
ensinar a voar e não abafar!

Um beijinho