11 dezembro 2006






NOSTALGIA




Ontem deitada no sofá da sala
olhava meus quadros na parede
lembranças de anos, colecionadas
A cada uma que passava meus olhos
eu recordava
onde a comprei, o momento,
o sentimento que me passou
o deslumbramento...
Ontem meus olhos percorreram
os quadros feitos por minha filha
nos seus anos antigos de escola
todos pendurados simetricamente
na parede de minha sala
Detive-me olhando cada um
os detalhes das cores
do seu sorriso infantil
Em um deles ela pintou "2007"
que seria o ano que ela iria
para a Universidade
(parecia ontem!)
Dos quadros de minha filha
passei os olhos
num que me foi dado
pelo meu pai
uma estrada e sempre que eu a olho
sinto-me nela a caminhar...
Ontem olhei meus pratos de cobre
perto da lareira
sempre estiveram ali
emparelhados...
No canto da sala
uma velha estante dos anos 80
(eu a desenhei, e ela foi feita
como nos meu sonhos)
E num pensamento nostálgico
fiquei a imaginar
onde estarão esses objetos
daqui há "uns" muitos anos
(quero ainda muito viver!)
meu vaso de flores amarelas
minhas plantas caindo como cascatas
da parede de meu quarto
meu quadro de Jesus Cristo
talhado na madeira
meus cadernos de poesias
minha caixa de fotografias
minhas almofadas espalhadas na cadeira
onde estarão os sonhos
que sonho agora?
minha pilha de fitas de videocassete
minha filha pequena
eu... esquiando na neve?
minha maquina digital
que fotos terão dentro dela
qual será meu ultimo telefonema
meu ultimo olhar?
um dia talvez, será assim
criancas espalhadas tocando meus objetos
com seus dedinhos curiosos... brincando,
e alguem por traz talvez os olhando
lembrando-se de mim...



Mary Fioratti

7 comentários:

Zé Carlos disse...

Mary querida, você tem sempre uma história linda para contar... e esta música tem uma história longa que eu carrego.... foi em 1962 que aconteceu esta história regada à Maysa Figueira Monjardim Matarazzo na época, depois Mayza Monjardim somente, com a minha primeira namorada, ouviamos os grandes LP´s da época....

«Eu sei e você sabe, já que a vida quis assim
Que nada nesse mundo levará você de mim
Eu sei e você sabe que a distância não existe
Que todo grande amor só é bem grande se for triste
Por isso, meu amor, não tenha medo de sofrer
Que todos os caminhos me encaminham pra você

Assim como o oceano só é belo com o luar
Assim como a canção só tem razão se se cantar
Assim como uma nuvem só acontece se chover
Assim como o poeta só é grande se sofrer
Assim como viver sem ter amor não é viver
Não há você sem mim
Eu não existo sem você»


**Tom e Vinícius

Lindos momentos vividos e grandes lembranças guardadas....

Obrigado por relembrá-las.... Bjs do Zé

Jéssica disse...

Texto lindo... e realmente nostálgico, mas a saudade, ou saudosismo, as lembranças... nos acompanham aonde quer q a gente vá ou esteja... e é tão bom recordar, ainda mais qdo a coisa recordada é boa, faz a gente esboçar um sorriso no canto da boca. Música perfeita pro teor do q lavrou... ah amiga... vc me fez chorar, mas chorei de alegria... lembrandod e algo muito bom, q infelizmente acabou... Linda, tua alma é linda... Beijossssss

ALF O Extasiado disse...

Que lindo, qiue poético, mágico.
Nostalgia com sentiemnto. Olhar para cada detalhe, e viajar com ele, se ver no futuro ou passado, onde ele estará ou como te lembrarão.
Recordar é viver...
Muito lindo

bjos mary
;)

Luiz Carlos Reis disse...

Querida,

Ontem ficou a lembrança! Hoje quando reviramos o passado vem a nostálgica impressão das coisas sempre boas que ficam e se perpetuam aos descendentes...Belo texto como sempre. Um momento de reflexão só teu, sinta-o.
Beijo no coração minha linda!

Estou meio ausente por conta do trabalho mas está tudo muito bem!
Obrigado pelo carinho constante!

Jéssica disse...

Menina, não me cansod e repetir, como vc é bonita. Cara limpa, sorriso franco, cabelos maravilhosos.
Linda, amiga, vc é linda, por fora e por dentro...
Ontem a foto não abriu.
Amiga pra sempre... beijos e bom dia*.*

Luiz Carlos Reis disse...

Minha querida,

Um grande beijo para tí! E tenha um ótimo dia também!

Jéssica disse...

Oi, Mary amigaprasempre, tô vindo do Kafe, o paizinho dele faleceu. Fiquei tão triste, chorei, sabia? De longe acompanhei a dor do Kafezinho. Perdi o meu já temmais de 5 anos e ainda doi demais. Que Deus conforte o coração do nosso amigo. Teremos um sábado mais triste, sentindo a dor dele, né?
Beijos*.*