07 dezembro 2007


COM A PRIMEIRA NEVE, A ESPERA DO NATAL





Ontem fui surpreendida com essa foto, enquanto tirava o Papai Noel do armario.




Os anos passados, fazia isso com minha filha. Enfeitavamos a casa, e ela me ajudava a armar a arvore.
Este ano, ela vem para casa somente no dia 16 de dezembro, entao ja comecei os preparativos, pois quero que a casa esteja bem bonita quando ela chegue.

Comecamos tambem nossa novena de natal agradecendo tudo que tivemos esse ano.

Esta foto tirei nesse momento, da paisagem fora da minha janela:



Recebi um email de meu irmao agora: "Mana... que legal! ADOOOOORO FRIO e neve nessa paisagem bucólica, sem cor."

Essa semana fui pela primeira vez no meu servico voluntario, na Casa dos Velhinhos.
O ambiente esta puro Natal! Arvores coloridas, enfeites, e ate Papai Noel.

No dia que fui, houve a festa de aniversario dos que aniversariam em dezembro. Um pianista veio tocar musicas de Natal, e tambem cantar parabens para eles.
Ele os chamava pelo nome, e cada um levantava a mao dizendo sua idade. Um velhinho,
dormia na mesa, segurando um copo de suco.
- Sr. Joe! Parabens! Quantos anos o sr tem?
E o velhinho, acordou, sorriu e disse:
- Tenho 98.
Os outros, comiam as bolachinhas contentes, e batiam o pé no chao acompanhando a musica, ou tamborilavam na mesa.
Outros, totalmente ausentes, olhavam assim com aquele olhar de paisagem (um dia desses minha tia Carmencita usou essa expressao, e a achei perfeita para aquele olhar perdido...)

Fui depois visitar as "minhas pacientes", no entanto somente uma estava acordada.
Ela me contou que a familia dela era de 8 pessoas, e que eles foram muito felizes. E me falava de um jardim...e repetia...o jardim... e fiquei imaginando na minha cabeca que esse jardim deveria ser colorido, bonito, e aquela velhinha de cabelinho branco, era jovem, sorridente, e ate a vi cercada dos filhos.
Fiquei com vontade de perguntar da familia. Mas nao pude.

Temos diversas regras para ser voluntarios: nao podemos perguntar da familia, nao podemos sentar na cama deles, ajuda-los a comer, ou a se vestirem. Apenas escuta-los, e conversar.

Prometi a Bety (o nome dela) que voltaria na Segunda-Feira. Perguntei se ela queria que eu empurrasse a cadeira dela para o quarto, (ela estava no corredor), e ela disse: "Nao, eu estou esperando minha companheira de quarto. Enquanto ela nao chega, eu nao entro. Me preocupo com ela, sabe?"

Fidelidade.

Depois fui ajudar a servir o jantar.
Ha uma coordenadora que tem tudo por escrito, quem come o que. Diferentes dietas.
E ela ia me indicando onde levar os pratos.
Esses sao os velhinhos que comem sozinhos e sao independentes. Assim mesmo, que dificuldade eles tem de chegar ate a mesa. Uns andando, outros em cadeiras de rodas.

Alguns alegres, outros tristes, uns apenas quietos. Me apresentei a cada um. E sempre adiciono uma pitada de interesse, dizendo que sou do Brasil. Eles me olham com os olhinhos arregalados e dizem: "Do Brasil?" Parece que vim de Marte! (risos). E eles se maravilham de conhecer uma pessoa que veio de outro pais.

Um velhinho dormia na mesa, e fui levar o prato dele. Eu o acordei e ele disse: "Nossa! ja é de manha?" Eu disse: "Nao, é a hora do jantar". Ele disse: "Nossa, tempo voa, nao?" (risos).

Um outro, me contou que lutou na 2a. Guerra Mundial na Italia. E contou-me que um batalhao de brasileiros o salvou. Chama-se Norman.

Fiquei impressionada quando fui servir um velho e ele me perguntou o que tinha no prato. Era cego. Eu o havia visto entrando sozinho na cadeira de rodas. Com certeza sabe o caminho de cor...

Alguns com o olhar perdido. Outros, olham em volta, sorriem.

Em uma mesa, diferente dietas. Quatro velhinhas sentadas. Levei os pratos e para duas, era apenas arroz com vagem e pure e as outras duas, hamburguer com batatas fritas.
Uma delas olhou para mim e disse: "Eu quero hamburguer com batata frita!". Eu disse: "A sra. nao pode, essa é a sua dieta".
Ela me disse: "Mocinha, eu estou muito velha para dietas. Me traga hamburguer com batatas fritas!".

Um outro velho me pediu café. E pediu um canudinho. Eu disse: "O sr. tome cuidado para nao queimar a boca". E ele disse: "Mocinha, eu tomo isso todos os dias. E nunca queimei a boca!".

Risos. Mocinha! Gostei desse trabalho voluntario! Afinal, entre 80, 90, e até um de 101 anos, eu sou MOCINHA mesmo, nao sou?

Mas vi muitos velhos sozinhos nos quartos. Uma area onde ha doentes mentais. Depois da festinha de aniversario, me pediram para levar uma para o quarto, ela estava em uma cadeira de rodas. Ela me disse que nao pertencia aquela ala. Que ela nao era doente. Colocou o pé no chao, e me impediu de puxa-la. Tive que chamar a enfermeira.

So quero dizer a voces que foi uma experiencia muito valiosa.

Na verdade, estou "dourando a pilula", pois nao é tudo tao bonito como descrevi. Na verdade, eu tentei ver de um modo bonito.
Mas é uma grande reflexao.

Uma semana antes do Natal vamos preparar as velhinhas para a festa. Fazer suas unhas, arrumar seus cabelos.
Engracado, estava lembrando agora. Vi na mesa uma velhinha de cabelinho branquinho, e comprido, ate o meio das costas. E lembrei de mim. Porque eu sei que vou ser uma velhinha de cabelos compridos.
E no momento que a vi, fiquei a pensar se um dia eu estaria num lugar desses...


®Mary Fioratti

PS: Resolvi que vou escrever um livro. Com nomes ficticios, é claro.

10 comentários:

Zé Carlos disse...

Maninha, estamos te esperando aqui com o sol de Janeiro......
Dê um beijo nos nossos velhinhos....
Beijão pro cê... ZC

Anônimo disse...

Olá menina!!
a neve, para mim que estou em plena Bacia Amazônica, é coisa realmente de outro mundo, aqui, nessa época, chuva o tempo todo e mormaço, bastante quente.

Regras para conversar como s velhinhos? Eu heim? risos. se fosse
coisa tipo~:não beliscar..risos, não passara rasteira...não apostar corrida..essas coisas tudo bem. Não entendi essa de não falar da família ou de não poder sentar na cama...esse negocio só de ouvir.
Mas mesmo assim é muito interessante, vai ser muito gratificante pra ti. Vais ter muitas histórias e é ótima a ideiade registar num livro.

beijo

daufen bach.

Amaral disse...

Emociona a tua forma de estar na vida, Mary!!!
Será que não vieste de Marte???...
Uma mocinha entre os idosos a dar e repartir alegria e sorrisos!!!
Quando tudo estiver em livro, eu quero um exemplar escrito em português!!!
Continua a SER como és, Mary!!!

Rosa Maria disse...

Mary

Que lindo!

Enternecora a maneira como descreve a sua experiência com os velhinhos.

Beijinhos

Gerlane disse...

Olá, Mary!

Estou retribuindo a gentileza de sua visita. E, gostei muito de tudo que vi e li.
Um feliz Natal pra você e todos os seus.

Abraços,

Gerlane

Encantos da Alma disse...

Mary minha amiga que amo.......

Ler você, mergulhar nas tuas experiências, é como sorver vida!
Uma das coisas que acho tudo de maravilhoso, é a certeza de que pouco sabemos, e muito temos a aprender....
A existência humana é a mais fascinante forma de nos enriquecermos.
Teu trabalho minha querida, ainda te trará inúmeras emoções, inúmeros momentos ricamente não imaginados!!!
Você minha linda amiga....é alguém demais especial. Iniciativas preciosas assim, só poderiam nascer em teu coração precioso!!
Sou apaixonada pela forma com que você vive e encara a vida!!
Te amo viu minha amiga do coração???rs
Beijão com amor
bea

Ricardo Rayol disse...

Essa tua veia solidária é invejável e mais do que deve escrever um livro.

Musician disse...

Querida, deve ser preciso muita força para fazer voluntariado! Tem coisas maravilhosas, mas muitas que tocam o coração e nos deixam revoltados! Eu adoro os velhinhos, mas sinto neste mundo que são tão mal tratados :(
Dá um beijo por mim em cada um ai, ok?

Sabes minha amiga, só vi uma vez neve! Como é triste...eu adoro! Quem me dera estar ai para ve-la, e tambem a ti :-)

Um beijinho bem grande*

Menina do Rio disse...

Como eu disse; meu Natal tem flôres! Os brasileiros comemoram o Natal num padrão que não é nosso. Enfeitam as árvores com neve de algodão e botam o Papai Noel naquelas roupas calorentas - coitado do velhinho - como sofre!
Quanto aos velhinhos, pode não ser bonito de ver, mas é real. Olhemos com o coração.
Um beijo pra ti e um bom começo de semana

AnaLua disse...

Mary, vim agradecer a visita e o comentário tão bonito. A-mei teu blog, tua experiência com os velhinhos e também achei tua família muito bonita. Vc parece uma pessoa iluminada, com muita consciência social. Gostei muito. Seria uma honra se vc me linkasse, vou fazer o mesmo! Seja bem-vinda, sempre! Voltarei.

Beijo grande!