09 maio 2006




P E D A L A N D O




As tardes suaves
quando o vento sopra devagar
e o sol ja esta fraco
pego minha bicicleta
e eh so comecar a pedalar
que sentimentos antigos
nascem dentro de mim
moleca, cabelos meio avermelhados
uma franjinha marota
cheirando a shampoo de camomila
e la ia eu descendo subindo ruas altas
descendo ladeiras abrindo as pernas
e rindo da propria vida
a bicicleta nao era minha
era emprestada
mas os sonhos, esses eram mesmo meus
pedalava, pedalava, depois subia as pernas
no guidao da bicicleta
soltava as duas maos
e naquele momento, com aquele vento
e aquela liberdade escancarada
batia tao forte meu coracao!
hoje quando pego minha bicicleta
e comeco a pedalar
meus cabelos ao vento
da-me aquela sensacao de levar
meu pensamento
entao pedalo, pedalo, e a calcada e longa
e eu vou indo, vou indo...
nao penso, nem levo radio no ouvido
quero essa sensacao de liberdade viva
quando contorno os buracos
subo as ladeiras...desco-as com velocidade
sensacao de controle
e como se de repente eu estivesse controlando
minha vida, meu destino
como se nao houvesse solidao, tristeza,
vazio, nem ao mesmo futuro
e sim somente aquele presente
naquele sol fraco tocando minha pele
no vento frio que erica meus pelos
nos meus cabelos que voam
nos meus labios que ressecam
Nesses momentos
eu penso que eu queria que a vida fosse assim
pedalando, pedalando, pedalando....
zunindo nas calcadas juntando as esperancas
fechando os olhos e vendo meu cabelo brilhando ao sol
com cheiro de camomila



®Mary Fioratti

Um comentário:

Musician disse...

Se fecheres os olhos vais ver que a vida é mesmo assim, pedalar, pedalar, peladar... :)

Beijinho doce*