15 junho 2006




LEGADO DE AMOR




Tantas coisas suas
Restaram nos meus pedaços
Suas cartas de amor
Os seus abraços
E aquela parte de sua alma
Que como uma peça
De um quebra-cabeças
Encaixou-se na minha
Tantas coisas suas
Ficaram eternizadas
Dentro da meu bau
De recordações
A sua voz inesquecível
(Fecho os olhos e a escuto)
As suas músicas prediletas
Aquele verso mudo
Onde você descreveu tudo
Sem dizer uma só palavra
Ficou o cheiro de sua alma
Nas minhas roupas
A essência de sua ternura
Perdida nas minhas poesias
Tantas coisas suas
Que hoje são minhas
Seus pensamentos
Suas palavras, seu sorriso
Que plantados como sementes vivas
Tornaram a minha alma florida
Como um legado de amor
Deixado como um bordado
Em uma herança de vida

®Mary Fioratti

2 comentários:

Edna Feitosa disse...

Bom dia, menina!!!
Fiquei feliz com seu comentário ontem, no Flog...
Sérgio é um brincalhão e vc riu ontem do que ele escreveu, mas se acompanhar todos os coments, vai ver que ele está sempre "provocando"...É bom gente com esse humor assim, né mesmo?

Sobre seu poema, me lembro dele, Mary e me dá saudade de quando eu editava suas páginas. Vc escreve muito bem, menina!

Um abração e fique sempre com Deus!
Edna

daniel sant'iago disse...

Os seus três últimos versos são, só por si, um poema...

Obrigado.
daniel