19 outubro 2006




ESTÁTICO




Houve um momento
breve instante
que parou o girar do mundo
e tudo ficou estático
percebeu-se a essência
num piscar de olhos
profundidade absoluta
do sentimento
Houve um momento
em que não foi preciso
nenhuma palavra de amor
sussurrada a meia-luz
nem a caricia nos seios
ou o suspirar eterno
dos anseios
escancarou-se apenas a alma
abrindo suas asas
inexplicavelmente
Houve um momento
em que nossos corpos desceram
bem no fundo da realidade
e leves...flutuantes
subiram etéreos no mundo do sonho
e entenderam que era muito mais
do que apenas palavras
Houve um momento
em que percebemos
o amor inteiro, nao-sexual
mas feito de doçuras
em gestos suaves e ternos
onde os olhares
trans-cederam a alma
trans-bordando ternuras

®Mary Fioratti

6 comentários:

Kafé Roceiro disse...

Poema mais que lindo. Mais que tudo. Beijos e desculpe a falta de graça que ando nela. Beijos de novo.

Luiz Carlos Reis disse...

Mary, tuas palavras nos deixam estáticos, tamanho lirismo encontrado.
Abraços e tenha um magnífico final de semana!

Zeca disse...

Deste lado do mar imenso que é o atlântico, te mando um abraço do seu tamanho.
Bom fim de semana
Fica bem
P.s.Correu bem a entrevista?

AS disse...

É assim o amor Mary!... Tem momentos de pura magia...


Um beijo terno...

Alexis Coald disse...

Siempre los momnto de amor son inolvidables, como este bello poema.
Las palabras los versos son con mucho sentimiento y sutileza.

Te quiero mucho amiga Mary.

Mily disse...

Viver um momento como esse é vislumbrar o paraíso num relance...