28 fevereiro 2007


AQUELE VELHO



























Aquele velho
de olhar perdido
trouxe-me lembrancas
de meu pai
dificuldade de andar
rosto de expressao indefinida
nao sabia se era de pura anestesia
ou cansaco de vida

Aquele velho
andava com dificuldade
seus ombros estavam abaixados
sua cabeca branca
andava lentamente com cuidado
a bengala tateando o caminho
naquele momento percebi o quanto
aquele velho sentia-se sozinho

Nao sabia se era minha imaginacao
ou se apenas eu via aquilo
que sentia em meu coracao
Mas aquele velho mexeu
nas profundezas de minha alma
enxerguei nele meu pai
e por que nao pensar...
que me vi em seu lugar?

Essa solidao tao unica
que nao ha remedio que a cure
essa procura incessante
esse constatar agoniante
Nao sei porque
aquele velho trouxe-me sentimentos
adormecidos e desconhecidos
naquele momento



®Mary Fioratti


Em Cincinnati ha poucos onibus, acho que apenas umas duas linhas que vao daqui ate a cidade.
Um dia desses eu estava vindo do servico, e quando parei no sinal, vi um onibus parar na esquina e com muita dificuldade, desceu um velho.
Apoiava-se com uma bengala e andava com muita dificuldade. Aquele velho foi andando por uma calcadinha estreita, olhando para os lados.
Senti uma fragilidade imensa em seu rosto e na sua figura fragil. Ele pedia carona a cada carro que passava.
Virei a minha rua e la em baixo dei a volta. Senti dentro de mim uma vontade de ajuda-lo com um misto de medo.
Esse medo me fez pensar no que somos transformados. Tornamo-nos insensiveis e egoistas, por medo.
Dei a volta, abri a janela e perguntei para onde ele ia. Ele respondeu: "Vou ao medico, fica no Sul da rua Kenwood.
Abri a porta e o velho subiu com dificuldade. Coloquei sua bengala na frente e ele sentou.
Pensei na hora: "Que mal poderia me fazer aquele velho?".
Ele foi conversando dizendo que morava em Clifton (um bairro longe de Blue Ash onde moro), e que pegava o onibus porque o seu medico ficava em Blue Ash.
Coincidentemente era o mesmo predio que minha filha tem seu dentista.
Parei na frente e ele olhou para mim e disse: "Obrigada, nossa, a sra. me economizou tantos passos!".
Deixei o velho, e vim pensando. O mundo esta tao violento que nos faz ter medo desses pequenos gestos.
Mas eu me senti tao bem fazendo isso. Foi como se eu tivesse ajudado meu pai.
E depois veio na minha cabeca, no caminho de volta, a fragilidade do meu pai, andando na area de casa, equilibrando-se (tinha tontura). Depois sentado na sua cadeira na area, ficava a contar historias do passado. Meu pai viajava...em pensamento ele viajava muito...
Lembrava-se das ruas que havia morado, das pessoas, de nomes... Perguntava sempre do "Tio Joao". Olhava para mim e dizia: "Onde mora agora meu Tio Joao?". O Tio Joao ja havia morrido ha tanto tempo!
Entao ele viajava em seus sonhos.
A cada ano que passa, que fico mais velha, a minha compreensao com os velhos aumenta. A minha paciencia e maior.
Penso que um dia, quando eu ficar velha, quero que as pessoas tambem tenham paciencia de ouvir minhas historias.
Quando a Patti for para a Faculdade, eu quero fazer um servico voluntario com os velhos.
Aqui nos EUA ha tantos velhos esquecidos em Asilos. Se bem que os Asilos sao muito bons e confortaveis.
Mas eles sentem falta de conversar, porque sao tao poucas pessoas que os escutam.
Queria assim, sentar e ve-los mostrando fotografias de seus filhos, seus netos. Ouvir suas historias.



22 comentários:

Anônimo disse...

Que lindo amiga, voce ajudar o velhinho!
Uma vez indo ao shopping vi uma velhinha no ponto do onibus. Estava chovendo e frio e volte pra oferecer carona a ela. COmo o "seu" velhinho" entrou com dificuldade e foi falando como uma matraquinha ate chegar ao shopping. Quando saiu disse: "vou estar de volta a tal hora e espero que voce esteja aqui pra me levar pra casa "Susie".
Veja so, a coitada pensava que talvez eu fosse a filha dela ou coisa parecida.
Eu disse, nao querida, nao sou a Susie nao, e nao vou ficar muito tempo no shopping. Quando sair, se a senhora estiver nessa entrada eu a levo pra casa. Claro que a coitadinha nao estava la quando sai.
Meu pai faleceu relativamente moco, ainda muito lucido. Imagino a dor de ver alguem tao querido envelhecendo.
Fique com Deus e um abraco carinhoso,
Evie

Beatriz Prestes disse...

Mary minha amiga....
Nossa, teu texto, com tua emoção, me fez chorar...
Olha minha querida, você é bem o coração generoso, a alma preciosa que bem conheço. E acho que você está certíssima. Ninguém deve perder a oportunidade de fazer o bem, pois ele toma dimensões de dádiva para nossa alma!!
Não vamos deixar que o medo, a preguiça, ou a desculpa da falta de tempo, nos tolha naquilo que Jesus nos pediu com tanto amor...Ajudar o próximo, não nos afastarmos do caminho da bondade para com nossos irmãos!
Estou mocionadíssima....lembrei tanto do meu pai....incrível como eles se tornam tão frágeis....como precisam da nossa atenção e carinho!
Maravilhosa tua intenção de trabalho voluntário!!! Que filha preciosa você será para cada um destes velhinhos!! Que presente dos céus você será para cada um deles!!!
Amo você minha amiga, minha irmã de alma e coração!!
Bea

Musician disse...

Tens um coraçao tão lindo, tão grande! Gosto tanto de ti Mary!
Eu também penso assim como tu, por isso dou-me muito melhor com pessoas mais velhas do que eu! Consigo compreender os mais velhos, não sei, é algo que está dentro de mim! E adoro os velhinhos! Um dia também gostava de os ajudar e trabalhar com e para eles.
Quem sabe um dia!

Um beijo enorme*

collybry disse...

Com tantas sabedoria esses Seres a quem chamam velhos...Gostei de ler, bjca doce

Poemas e Cotidiano disse...

Evie querida: Que bonita a sua historia...achei engracado ela chama-la de "Susie"... Nao sei mas a gente se sente tao bem quando faz isso, nao sente?
Mas lembrei-me de uma passagem que meu pai ia indo para Taubate entregar um servico do cinema onde trabalhava, e viu uma moca com uma crianca andando no sol, aquele sol causticante. Ele parou e disse:"Para onde a sra. vai?" Ela respondeu: "Nao se enxerga nao, seu palhaco!". (risos).
Entao nem sempre a gente eh entendido, ne?
Beijos querida, uma otima viagem.
Mate as saudades por mim.
Adoro vc!
MARY

Poemas e Cotidiano disse...

Bea querida, minha irma e amiga: Foi assim que me senti, com "medo" de dar carona para aquele velho...sabe quando voce nao sabe qual seria a reacao da pessoa, mesmo sabendo que ela estava pedindo carona?
Um dia minha amiga Susi estava no supermercado, e ela viu um velhinho atras dela. Ela disse assim: "O sr. pode passar na frente, se quiser". Ele ficou uma FERA! Disse assim: "Por que? A senhora esta pensando que eu nao me aguento em pe?" (risos).
Entao a gente nunca sabe ne minha amiga.
Um beijo querida, te adoro!
MARY

Poemas e Cotidiano disse...

Musician, minha florzinha: Sabe, nao eh o meu coracao nao, acho que todo mundo tem esses "repentes", mas ficam sem saber se fazem ou nao.
Eu tambem acho os velhos um verdadeiro LIVRO DE SABEDORIA... eu adoro conversar com eles. Sabia que meu marido tambem eh assim desde adolescente? Ele adora conversar com velhos.
Um beijo querida, voce eh uma bencao na minha vida, viu?
MARY

Poemas e Cotidiano disse...

Pois eh, Colibry, como eu digo, os velhos nos ensinam muito, porque com certeza ja viveram muito mais que nos...
Imagina quantas coisas eles passaram...
Um beijo!
MARY

Amaral disse...

Olha, o poema do velho está maravilhoso!
Mas tudo o resto que escreves é de uma ternura extrema.
É verdade que os mais velhos estão sendo levados ao abandono, desterrados em asilos, sozinhos, até que a morte chegue...
Quando fores "velhinha" terás o teu marido, a tua filhota e vais ver que também "será bom" ser velhinha...
Afinal, todas as etapas da vida deviam ter a sua Alegria própria!
As nossas sociedades não estão a dar a devida atenção àqueles que deixam a sua actividade profissional... e não preparam devidamente os seus últimos anos... aqueles em que se sentem mais fracos e carentes...
O que fizeste com esse velhote foi dar um passo em frente na forma encantadora como vives a vida e como a encaras na sua extrema complexidade...

Poemas e Cotidiano disse...

Amaral querido: Aqui nos EUA, uma coisa que eu admiro (e muito!) eh a oportunidade que os velhos tem de ser "gente". Sabe, eh comovente ver velhos trabalhando em Lojas, e eu digo, velhos mesmo! Lembro do meu pai com 70 anos, queria tanto trabalhar, e imagine se no Brasil empregam alguem dessa idade.
Aqui ha um lugar ao sol aos velhos.
Um beijo meu querido, obrigada por vir me visitar.
Abraco apertado e carinhoso
MARY

Nani disse...

Mary...

o poema está lindissímo.

Por vezes, pequenas coisas fazem-nos pensar... e relembrar.

Gostei muito.

Beijinho grande para ti.

Nani

Lia disse...

Depois de me perder no teu blog, só uma frase vagueia pela minha cabeça.

Para ajudar os anjos que estão no céu, Deus colocou anjos na Terra.
Ainda que estes não tenham asas, emanam uma luz de intensidade estonteante, tal como tu.

Beijinhos

Pé de Salsa disse...

Querida Mary,

Como te compreendo...
Fizeste com que as lágrimas me saltassem dos olhos. Assim...sem querer!
Penso como tu minha boa amiga. Existem muitas crianças abandonadas mas acho que a maioria sempre encontra um colo. Mas os velhinhos e a sua solidão são comoventes. E eles têm tanto para nos oferecer...
Eu já vou ajudando sempre que posso. Às vezes, um sorriso e uma palavra já os torna felizes.

Adorei o poema, o texto e as lembranças.

Um beijo e que tenhas tudo de bom. Mereces!

Poemas e Cotidiano disse...

Querido Amaral: Obrigada pela sua presenca, e pelas suas palavras.
Espero que eu tenha uma velhice ao lado do meu companheiro, e com visitas de minha filha.
Se nao...espero ter alguem que ouca minhas historias...(ja pensou quantas?). risos.
Um beijo querido. Te quero muito!
MARY

Poemas e Cotidiano disse...

Nani: Acabei de visita-la.
Que linda sua fotinho. Voce tem um rosto tao terno.
Olha, achei lindinho seu post de hoje, viu?
Tomara que essa seja uma realidade para voce.
Um beijo
MARY

Poemas e Cotidiano disse...

Lia! Acabei de visita-la. Obrigada pelas lindas palavras que voce me dedicou.
Vi a beleza e sensibilidade de seu Blog, e entendo como eh o seu coracao.
Um beijo com carinho
MARY

Poemas e Cotidiano disse...

Pe de Salsa! PROTESTO! Acabei de visita-la e nao me conformo com sua saida! Nao, minha amiga, nao se despeca da gente. Achei lindo, muito linda a comparacao com a colmeia, com as abelhas...mas voce nao pode voar e nem desaparecer da gente...
To triste!
Beijos
MARY

Joel Langarika disse...

What else i can write, when all the coments above, tell you what i was thinking `bout your poetry? ohhh well, maybe THANK YOU. for such wonderful words. kiss from my deep blue sea. Joel

david santos disse...

Olá!
Este texto é uma realidade. Embora quem escreve tenha a tendência para ficcionar, esta é a realidade dos nossos tempos. já o sinto à porta.
Obrigado

Poemas e Cotidiano disse...

Joel, my dear...
Thank you for your kind words.
You know that you are in my heart.
*Kisses*
Your friend,
MARY

Poemas e Cotidiano disse...

Joel, my dear...
Thank you for your kind words.
You know that you are in my heart.
*Kisses*
Your friend,
MARY

Poemas e Cotidiano disse...

David,
Todos nos estamos. Mas a compreensao das coisas, e a cabeca que temos hoje, vale tanto, nao vale?
Um beijo
MARY