08 março 2006




QUANDO VOCE CHEGAR




Sua ausência provoca
crateras imensas
no amago do meu ser
Ando assim sem rumo
a procura de lembrancas suas
junto pequenas frases
pedacos de agonia
tento achar no vazio
fragmentos de poesia
Pego a caneta e o papel
rabisco palavras
invento frases
procuro inspiração constante
nesse vazio que me toma
Ah! quando você chegar
vou correr descalça ao seu encontro
cabelos ao vento, sorriso estampado
quero tocar seu rosto
desenhando-o com meus dedos
vou sorrir para seus olhos
tomar suas mãos entre as minhas
contar todos os segredos
que minha alma aprendeu
na sua ausência...
Ah! quando eu ver você chegar
vou encher de estrelas o seu chão
derramar a luz da lua em seus cabelos
colocarei flores nas arvores
um sol no horizonte
pintarei de cor-de-rosa o fundo do céu
perfumarei o ar com o meu cheiro
dançarei a sua musica preferida
sussurrarei palavras em seus ouvidos
colocarei um fim nessa agonia
e deitando minha mão sobre o papel
escreverei meus mais lindos versos
transformando sentimentos em poesia


®Mary Fioratti

4 comentários:

Betty Branco Martins disse...

Olá Mary

A beleza do teu poema... de aromas únicos...

"colocarei um fim nessa agonia
e deitando minha mão sobre o papel
escreverei meus mais lindos versos
transformando sentimentos em poesia"

Beijinhos cheios de ternura

Paulo Silva disse...

Minha Amiga os seus versos
transmitem por si mesmo muito sentimento.
A folha de papel e a sua sensibilidada darlhe-ão o resto.
Maravilhoso.

Zé Carlos disse...

... oi Mary querida, um beijo enorme a vc e a todas estas mulheres fabulosas que aqui comparecem, principalmente neste dia dedicado especialmente a vocês.... seu amigo de alma, Zé...

Zé Carlos disse...

PS: Lembre-se de que "Ah! quando você chegar de novo ao Brasil vou correr descalço ao seu encontro..." e aguarde muito mais surpresas desta vez..... saudades...