05 março 2006




TEMPESTADE DE AMOR




Seu corpo
sobre o meu
centrei meu olhar
em sua boca
que se movimentava
barulho ensurdecedor
dos corações que batiam
em diferentes compassos
emudecendo os sentidos
Minhas mãos tocaram
seus cabelos macios
sua pele em minha pele
cruzamos nossas mãos suadas
células vivas
queríamos mais e mais
daquele momento
De repente
Trovejou em nossas almas
barulho ensurdecedor
de amor
E o raio se fez
Iluminando nosso quarto
arrebentando-se nas nuvens
do nosso desejo
Depois numa calma
deleitou-se nossa boca
com um beijo


®Mary Fioratti

3 comentários:

mixtu disse...

tempestade... boa... bonança...o beijo que é o acto mais sensual que existe...

beijos, gosto da nova foto, lol

Zé Carlos disse...

.....que troveje, mas que seja por amor.... sempre......

Betty Branco Martins disse...

Olá Mary

Lindo teu poema - uma entrega d´amor... É uma tempestada que avassala deliciosamente - os nossos sentidos...

Beijinhos