10 setembro 2006




QUANDO VOCÊ NAO VEM




Quando você não vem
sinto assim como se estivesse
algo faltando no meu dia
minha alma parece vazia
Falta o calor da sua presença
o encanto da sua voz
a ternura dos seus cuidados
Quando você não vem
minha vida se torna tão branca
e tão sem sentido
Depois você chega
pegando seus pinceis
colorindo todos meus pedaços
pincelando os cantos
de minha solidão
com seus intensos abraços
e percorre com seu pensamento
todos os cantinhos
do meu coração
Você me renova
Tinta suave e fresca
nas paredes dos meus sonhos
refresca minha alma
muda de cor a minha paisagem
E com o seu suave beijo
Faz tremer o meu corpo
Em um arremedo silencioso
de desejo

®Mary Fioratti

9 comentários:

daniel sant'iago disse...

Se o desejo tão esperado é assim... só silêncio e arremedo...

daniel

Luís disse...

Pintar a solidão... ADOREI! Excelente poema. Embalou-me no encanto da dor que se vai transformando numa mar de cores.

Parabéns.

o alquimista disse...

Quando você não vem, o meu querer é ribeiro de águas desenfreadas que bate contra a pedra submissa...Poema lindo, de arremedo...

Doce e terno beijo minha querida

Kafé Roceiro disse...

Querida amiga,
Cheguei agora da roça, passei o feriadão lá sem internet, sem meus amigos...
sniff..
Estou muito cansado agora, mas voltarei mais tarde para passar o café e visitá-la de novo. Um beijão do Kafé.

EL HIPPIE VIEJO disse...

HOLA MARY

HERMOSO POEMA.
A MODO DE SALUDO TE DEJO ESTA CANCIÓN DE UN COMPATRITA TUYO , ALFREDO LE PERA , ACOMPAÑANTE DE GARDEL .


Cuando tú no estás
Canción
Carlos Gardel / Marcel Lattes
Letra: Alfredo Le Pera / Mario Battistella

Solo en la ruta de mi destino
sin el amparo de tu mirar,
soy como un ave que en el camino
rompió las cuerdas de su cantar.

Nace la aurora resplandeciente,
clara mañana, bello rosal,
brilla la estrella, canta la fuente,
ríe la vida, porque tú estás.

Cuando no estás la flor no perfuma,
si tú te vas, me envuelve la bruma;
el zorzal, la fuente y las estrellas
pierden para mí su seducción.

Cuando no estás muere mi esperanza,
si tú te vas se va mi ilusión.
Oye mi lamento, que confío al viento,
todo es dolor cuando tú no estás.


AMIGA
QUE TENGAS UN BUEN DÍA

ADAL

Alexis Coald disse...

Mary
Su poema es como una cascada de flores t sus letras son lluvia de estrellas, bello poema.
Espero que este bien y con ganas de seguir escribiendo coas tan lindad como estas.
Cariños

Alexis

Pé de Salsa disse...

Quanta sensibilidade neste e noutros poemas seus!

Muito doce e feminino.
Adorei!
Parabéns Mary Fioratti

zezinhomota disse...

É muito agradável entrar nesta salinha de encanto, porque se recebe sempre muito carinho de uma amiga e grande Senhora.
Sinto-me um privilegiado pelas duas coisas, pela sua amizade e orgulho, muito orgulho por eu ser amigo da Mary.

Boa semana e seja feliz.

Bjnhs

ZezinhoMota

Musician disse...

Hummm...que coisa boa é o amor :)
Adorei!

Um beijo*