03 novembro 2006




APELO DA PAIXÃO




Quero todas suas horas
desde o momento que você levanta
e olha para o nada
quando movimenta-se lento
em descompasso com o tempo
Estenda-me os braços, toma-me
envolve-me com sua ternura
com seu riso de menino
com seus beijos, seus carinhos
Vou transformar todos seus minutos
em puro amor, amor desinteressado
amor que pulsa, que pede, que mendiga
amor de menina, de mulher...
Quero todas suas horas
quando você anda pensando no nada
volta para casa fitando estrelas
na madrugada
sonhando com o impossível
Vou mudar seu ritmo, atrasar seu relógio
confundir seu tempo com caricias
faze-lo perder a noção de onde esta
Beijarei sua boca em emergência
ate que as horas
transformem-se em momentos
e façam-se languidas e lentas
provocando-lhe arrepios no corpo
deixando os desejos brotarem na pele
quando minhas mãos deslizarem
entre suas roupas
Vem...encontra-me quando o relógio
marcar o tempo certo
vou confundir seus ponteiros
desacertar os minutos com minha ansiedade
e fazer desse momento
Uma eternidade...

Mary Fioratti

8 comentários:

Pé de Salsa disse...

Bom dia Mary,

Não tenho conseguido entrar para comentar e ainda me encontro com alguns problemas de conexão.

Este seu poema é lindo! Essa sua paixão por tudo, pelas pessoas, pela natureza, pelo amor...é simplesmente deliciosa!

Parabéns por mais esta preciosidade.

Um beijo e tenha um bom fim-de-semana.

Ricardo Rayol disse...

Ficou lindo e a imagem é por demais significativa... apelo da paixão mesmo :-)

Musician disse...

Quanta paixão mesmo Mary!! :)
Assim quem não gosta?! Hummm...

E com esta música...

Que lindo querida!

Tem um bom Domingo.

Beijinhos*

Jéssica disse...

Menina Mary
Mulher Mary
Que lindo o amor que versas. Tomara todos vivessem um assim.
Obrigada por me lincar.
Bom domingo, beijo*.*

Alexandre disse...

Que lindo! Confundir os ponteiros e desacertar os minutos são o prelúdio de qualquer coisa muito bonita!
Parabéns! Um poema lindo...!
Beijinhos!

saltimbanco disse...

Caí num blog de paixões.

:) fiquei apaixonado.

Beijo

Daniela Mann disse...

Lindo, lindo, lindo!
Abração

Alexis Coald disse...

Mary

Siempre que se ama se considera que el tiempo es muy corto.bello poema.

Te abrazo amiga,maravilloso