02 novembro 2006




ESTENDO MINHAS MAOS




Estendo minhas maos
Dando-lhe esses versos
Palavras platonicas
Vindas de um coracao verdadeiro
Intenso e purificado
por esse sentimento
Amor ceu...dignificado
Vem.... abre suas maos
E colhe a borboleta colorida que eu busquei
na sua ausencia
que somente olhos puros como os seus
poderiam entender
essas suas cores
e a sua verdadeira essencia
Deixa eu contar-lhe
de antigas paisagens que vi
de momentos que senti
que tiraram o meu folego
Deixa eu dizer a voce
daquela margarida que nasceu
e quando voce se foi
ela estava ainda em botao...
Daquela nuvem no ceu
que se desenhou de repente
de um pensamento meu que se perdeu
e de meus olhos
que se deitaram no horizonte
em busca dos seus...


®Mary Fioratti

5 comentários:

Alexis Coald disse...

Amiga

Este peoma es una maravilla me encanto.

El nivel de tu poesía llega a niveles muy altos, te felicito Mary.

Te abrazo y mucha luz para tu vida amiga

Kalinka disse...

Hoje, pela 1ª vez te visito; muitas vezes vejo você no Kafé Roceiro e hoje me deu curiosidade de visitar e ler os fabulosos poemas que você faz, são Belos.

Você vive onde eu gostaria de viver, nos Estados Unidos...eu adorava!!!

Ano passado fui de férias 11 dias até Califórnia, ADOREI...

Parabéns pelos seus poemas.
Abraços.

Kafé Roceiro disse...

COncordo plenamente com Kalinka. Você está famosa. Esses poemas são de matar de tão belos e profundos, minha cara amiga! Desculpe a ausência, os tempos não são bons. Vocês são minha distração nas noites em claro. Tempos difíceis que infelizmente para nós vão passar, mas pro meu Velho Roceiro talvez sejam em busca da paz que ele não tem faz muito, muito tempo! A gente se fala mais depois! Beijos...

MentesSueltas disse...

Hermoso trabajo. Dejo un abrazo desde Buenos Aires.

Con cariño

MentesSueltas

Jéssica disse...

Nossa, que coisa mais linda esse poema...
Mil pra vc... beijo*.*