10 dezembro 2005




NEGO ESTE AMOR




Nego esse amor
que chega para mim
como uma cachoeira
num dia de sol
ou como a caricia do sol
num dia de primavera
Nego esse amor
Pisando em tradições
Dizendo "Não!"
enquanto gritando por dentro
diz "Sim!" meu coração
Nego este amor
que nasceu e criou raízes
e cresce dentro de mim
como hera verde e tenra
grudando nas paredes
do meu delicado coração
Nego este amor
todos os dias
quando levanto
e todas as noites
quando deito
abraço-o ternamente
nos meu sonhos
Amor sacramentado
por palavras gravadas
por sentimentos enlouquecidos
Nego este amor
e por nega-lo, nunca me contento
Se estou com ele
sofro a distancia e o tempo
Se estou sem ele
Desejo-o!
Triste sina do amor ausente
Deixar na brisa o sopro do amor
Escondendo na alma
o que a gente sente...


Mary Fioratti
10/12/2005

Um comentário:

Val disse...

Marynha, essa arrasou!
Beijo
Val