06 dezembro 2005



QUERIA LHE DIZER TANTA COISA




Queria lhe dizer tanta coisa
E no entanto a palavra morreu
Naquele exato momento
Em que eu pensei em dizer
Pensei assim: O que adianta dizer
Se as palavras as vezes
Parecem tao pequenas
Diante das folhas e folhas
Escritas na alma
No livro indefinido
De nossas vidas?
Queria lhe dizer tanta coisa
E a garganta secou
E as palavras engasgaram
E os seus motivos comecam
Onde os meus terminam
E a sua verdade se posiciona
Onde o meu coracao se coloca
Nao ha vencedor
Na batalha da vida
E sei que voce tambem
pensa assim
Cada um tem o seu modo
De sofrer
De sentir
de entender
de sorrir
Um modo unico
Vindo de um sopro de vida
Individual
Chamado: Existir

® Mary Fioratti
3/12/2005

2 comentários:

Isabel disse...

Menina,

Parabens, esta muito lindo!!!!!

Muita luz sempre e um grande beijo,

Isabel

Anônimo disse...

Querida prima Maria:
Não nos vemos e sequer ouvimos a voz um do outro há muito tempo. Entretanto suas poesias e os e-mails sempre bem humorados, próprios de quem está de bem com a vida, nos auxiliam a começar o dia sabendo que a alegria e a felicidade são possíveis e não lucubrações abstratas do consciente, ou do inconciente insano.
obrigado, beijos
LUIZ