06 abril 2006




NUNCA MAIS




Atropelaram-se nos gestos
Olhares magnetizados
Bocas entreabertas
diante da surpresa
Coracoes saltando no peito
Veia a pulsar na garganta
Corpos dormentes
Palavras surgidas no cerebro
Totalmente incompreendidas
Quando verbalizadas
Um abraco esmagado
E as maos se tocaram
solicitas....
Fundindo-se as digitais
Seguiu-se um beijo demorado
Um olhar doce e desesperado
E depois...um nunca mais


®Mary Fioratti