07 abril 2006




QUANDO A SAUDADE VEM




Quando a saudade vem
Chega bem de mansinho
E em ritmo crescente
aperta devagarinho...
Vai sufocando aos poucos
Dor no peito
Que não é dor
Uma vontade de tocar
De abraçar, de sentir
Doente terminal
Sem morte
Um estado que só se agrava
Inquieta e tira a calma
Quando nosso coracao
agoniza lentamente
Deitado no leito da alma

®Mary Fioratti

Um comentário:

Isa&Luis disse...

olá, vim ao teu cantinho através de outro. Simplesmente belo o que li. Amei de verdade!


Uma semana deliciosa


jinhos

Isa