02 janeiro 2006




CHEGADA




igual aurora preguiçosa
que se deleita com o dengue da manhã,
tu acordou em minha vida.

chegaste acompanhada de brisa
e teus passos leves se confundiam com
o farfalhar das folhas.

discreta e sem arroubos maiores,
impregnou-me do teu perfume e me fez perceber
a inocência das coisas que não precisam de outdoors
para fazerem-se percebidas.

fez-me cativo de tua ternura, carente de tua alegria
fez-me sonhador neste mundo de conclusões e de fatos,
deu-me a condição e a certeza de um menino crescido.

então eu ousei,
quis de ti todo o carinho,
fiz birra, baguncei a cama,
fiz pipas, barquinhos de papel,
eu compus quadrinhas...

te mostrei o homem escondido atrás dos olhos,
o desejo simples de apenas ser
o ser liberto de todas as convenções,
de todas as ambições que não podiam me fazer feliz...

por isso eu te amei,
por isso eu te amo,
por isso mulher menina eu tenho
esse riso escancarado, essa vontade enorme
de te pegar no colo e da vida inteira sorrir.

® Clodoaldo Daufenbach
(daufen.)

3 comentários:

Gaara disse...

FELIZ ANO NOVO!

daufen disse...

risos...

linda, não sabes como fico envaidecido qdo publicas um poema meu aqui. Sabes que a adoro, que a admiro.

eu não sei nem o que dizer, a não ser agradecer-te....OBRIGADO menina poesia.
Beijos

daufen.

Mareluz disse...

Já havia elogiado no site, mas esse poema é um encanto (não custa repetir).
Parabéns, poeta!
Um abraço
Mareluz