01 janeiro 2006




CLÉSIO BOEIRA DA SILVA
Hoje quero colocar aqui uma poesia do meu querido Clésio. Um jornalista inteligente, rápido no pensamento, mas que para mim tem uma qualidade essencial no ser humano: tem um coração vermelho, pulsante, vibrante!
Desejo a você meu lindo amigo Gauchinho, um FELIZ ANO NOVO!

Mary Fioratti


SILÊNCIO



(®Clésio Boeira da Silva)

Silêncio
Breu do céu noturno
Crivado de estrelas caladas
Enormes distâncias rasgadas
Luzinhas em fim de turno

Silêncio
Cada estrela brilha hesitante
Uma fita a outra acesa
São todas uma só beleza
Luzes perplexas em dor lancinante



VISITEM OS SITES DO CLÉSIO:
http://www.planetaliteratura.net
http://www.clesio.net

3 comentários:

Anônimo disse...

Mari,
Você é encantadora. Amiga de fé, de todos os momentos. Você é descoberta iluminada.
Muito obrigado!

Bjs

Clésio

Anônimo disse...

Mana
Lindo poema e homenagem merecida!
Beijos
Maria Lúcia

daufen disse...

Oi linda...

bela homenagem

beijos
daufen.