15 julho 2006




A N A L O G I A




Esta manha fiquei a olhar
uma borboleta branca voando
ela suavemente estava a voar
fazendo circulos, subindo alto
descendo, rodopiando...
E meus olhos ficaram a segui-la
num deslumbramento total
seguindo seus movimentos no ar
Sempre amei borboletas
pela sua beleza das cores
e pela sua maravilhosa liberdade
alem da delicadeza de seu corpo
e da feminilidade de seu voo
Fiz uma analogia imediata
enquanto seguia com meus olhos
meio maravilhada
o voo dessa borboleta
beijando margaridas
Assim deveria ser o AMOR
Livre de amarras, de preconceitos,
de regras, estipulacoes, cobrancas
por que sempre o escravizamos
engaiolando-o nas redes do ciume
da agonia, da posse?
Ele deveria como essa borboleta
alcando o seu voo livre
transpassando montanhas, vales,rios,
as asas batendo compassadas
e depois voltando
ao som da musica do vento
com gestos graciosos e plenos
como um bailado ao som de Tchaikovsky


®Mary Fioratti

3 comentários:

zezinhomota disse...

A Borboleta no seu esvoaçar é realmente num lindo dançar ao som desta melodia que embriaga os sentidos.
Bfsemana
ZezinhoMota

Joel Langarika disse...

In the analogy of buterflies, i can tell u, that a flower that take the wind and spread it wings, can be more accurately-on my opinion- and your words, as always, brings us joy to be alive, to be part of this nature within our innerself, within our own nature. Cheers! love your poems, all of them full of passion for life, for love, for friendship...

mixtu disse...

analogia de amor... linda borboleta de nome mary...
besitos, meus e de carmencita